Fale com a gente

|

Tempo

Compra: R$

Venda: R$

28 de setembro de 2020

BEM: Alguns trabalhadores terão que devolver o auxílio, saiba como será a devolução

 | Jornal Acontece

Uma das iniciativas do Governo Federal para diminuir o impacto econômico causado pela pandemia da Covid-19, foi o Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda (BEm).

A ação é para reduzir o desemprego e permitir com que os trabalhadores tenham condições de enfrentar o estado de calamidade pública do país.

Entretanto, alguns trabalhadores que receberam o benefício emergencial poderá ter que devolver o dinheiro, o que aconteceu é que alguns trabalhadores que contaram com as empresas participantes do programa, receberam o benefício acima do que estava proposto.

Um outro caso seria o retorno antecipado do funcionário da suspensão e redução, caso a parcela tenha sido processada, e o funcionário não ficou afastado a quantidade de dias informada inicialmente, ele terá que devolver o que recebeu a mais.

Portanto, quem se enquadrar na lista, não terá outra saída, senão, devolver o benefício para a União.

 

Para quem é o BEM

O público que é destinado o BEm é o que teve redução de jornada de trabalho, redução salarial e suspensão do contrato de trabalho. Nos casos em que a empresa tenha executado a redução em 25% do salário, o BEm vai servir como complemento salarial, acrescendo os 25% na folha de pagamento, tendo como base o valor do seguro-desemprego.

Sendo que os valores poderão chegar ao máximo de R$ 1.813,03. Entretanto, quem recebeu acima desse valor, deverá devolver a quantia para o BEm.

BEM: Passo a passo para devolver o benefício via GRU

Empregadores já podem fazer a devolução do Benefício Emergencial pago indevidamente pela Guia de Recolhimento da União, a GRU; Veja como.

GRU Benefício Emergencial

Para gerar a guia de devolução do Benefício Emergencial, o empregador deve:

  • Acessar o Empregador Web e em Benefício Emergencial clicar na opção “Consultar”;
  • Ticar a opção “Acordos com Recebimento Indevido” e clique em consultar;
  • Vale lembrar que não é necessário informar CPF, assim ele fará a busca de todos os benefícios com esse indicativo.
  • Acesse o Benefício e vá em “Devolução de Parcelas Pagas Indevidamente” e clique em “Devolver”;
  • Preencha os campos obrigatórios, caso não tenham sido preenchidos automaticamente;
  • Preencha a justificativa, caso considere relevante informar o motivo.
  • Segundo o professor, o preenchimento é recomendado, porque assim é possível lembrar o motivo da devolução. Por exemplo: Acordo com vigência reduzida, devido a início de licença maternidade.
  • Emita a GRU para pagamento. Se atente a emissão da guia, que sempre irá sair com a data de vencimento para o último dia do mês. Caso não consiga pagar, basta reemitir a guia que será atualizada novamente para o último dia do mês vigente.
  • Na hora de imprimir a guia é importante se atentar, porque a opção “download” gera o arquivo na opção .jsf não permitindo a visualização. Para isso, clique em “Imprimir” e imprima em PDF, usando uma impressora de PDF (PDF Creator, por exemplo) ou “Salvar como PDF” do próprio navegador.

 

Negar a devolução do BEM

Caso o empregado se negar a devolver o dinheiro, deixe-o ciente que o valor será cobrado e pode ser incluído na Dívida Ativa, conforme Lei 14.020/2020:

“§ 7º Serão inscritos em dívida ativa da União os créditos constituídos em decorrência de Benefício Emergencial de Preservação do Emprego e da Renda pago indevidamente ou além do devido, hipótese em que se aplicará o disposto na Lei nº 6.830, de 22 de setembro de 1980, para a execução judicial.”

 

Vale lembrar que o empregado também vai conseguir gerar a GRU,  será liberada a emissão pelo empregado através da CTPS digital, mas é necessário que o aplicativo seja atualizado, o que ainda não foi feito pelos desenvolvedores.

 

Publicidade
Publicidade
NOTÍCIAS RELACIONADAS

28 de setembro de 2020

Unidades de Saúde participam de atualização sobre Plano de Imunização

Leia mais

28 de setembro de 2020

Guarujá reduz em quase três vezes taxa de internação e média móvel de óbitos cai 63%

Leia mais

28 de setembro de 2020

UPA da Enseada volta a contar com atendimento pediátrico 24 horas

Leia mais
Publicidade
Publicidade
Desenvolvido por KBRTEC