'Concerto ternura' reúne Marcial de Cubatão e corais da terceira idade

Apresentação é no dia 4/10, às 20h, no Teatro Coliseu, em Santos

Um espetáculo repleto de emoção por dois motivos: o som impecável da Banda Marcial de Cubatão e as vozes maduras dos corais da Terceira Idade da região. A apresentação, com gosto de alegria em família, foi batizada pelo maestro Alexandre Felipe Gomes de Concerto "Ternura" e acontece na próxima quarta-feira, 4/10, às 20h, no Teatro Coliseu, em Santos (Rua Amador Bueno, 237). Os ingressos, que têm preço único de R$10, podem ser adquiridos na bilheteria do teatro.
A Marcial decidiu inovar, convidando os vovôs e vovós do Coral Raízes da Serra, de Cubatão, e outros dois grupos vocais como o Coral Univozes do Colégio Universitas e Ouvindo Avós, do Sindicato dos Urbanitários de Santos. Eles contarão com a regência da maestrina Sandra Diogo Moço, que realizou toda a preparação vocal. O resultado da bela união são pelo menos 110 artistas no palco: 60 músicos da Marcial e outros 50 cantores da melhor idade. O repertório é bastante popular e vai de Ary Barroso a Lulu Santos.
No programa estão canções como Chalana (Mário Zan), Triste berrante (Adauto Santos), Volare (Modugno e Migliacci), Isto aqui o que é (Ary Barroso), Epitáfio (Titãs), Xote das meninas (Luiz Gonzaga) e Como uma onda (Lulu Santo).
Haverá, ainda, participação do Coral do Curso Fundamental da Escola Técnica de Música e Dança de Cubatão que abre a noite musical ao som de Tributo a Martin Luther King (Boscoli e Simonal), Mercedita (Belmonte e Amarai) e Vira-Virou (Kleyton e Kledir).
Esta é a segunda edição do concerto, realizado com sucesso em 2013, também na cidade de Santos. "Queremos mostrar toda versatilidade da formação de orquestra de metais da Marcial com este repertório extremamente popular. Dividir o palco com esses cantores e cantoras de muita bagagem é bastante especial. O encontro de gerações nos proporciona um espetáculo bem edificante", afirmou o maestro Alexandre.
Para a regente do Raízes da Serra, é a oportunidade dos cantores trocarem experiências artísticas e mostrarem o trabalho para a comunidade. "É muito importante esta troca com os músicos e com a platéia. Os cantores da Terceira Idade têm uma experiência de vida que deixam transparecer no palco e é isso que torna a apresentação diferente", disse Sandra Diogo.

Ler Jornal

Publicidade

Emprego

Serviços


Praias Estradas