acontece18anos001001

RPBC coloca vizinhança em risco

32 anos depois, o fantasma da tragédia da Vila Socó volta a assustar. Os petroleiros acusam a RPBC Petrobras de reduzir o quadro de funcionários potencializando o risco de uma tragédia, de proporções ainda maiores, na cidade. Eles apresentam informações indicando que o recente histórico de acidentes na Refinaria é fruto do evidente sucateamento dos equipamentos e falta de manutenção, agravado agora pelo reduzido número de funcionários. Depois de entrar com ações na Justiça na tentativa de barrar a redução do quadro, o Sindipetro-LP vem alertando à sociedade o que ocorre atualmente na Refinaria.

Denúncia

O Sindicato também encaminhou denúncia a diversos órgãos de fiscalização, incluindo a CETESB, IBAMA, Agência Nacionaldo Petróleo, Ministério Público do Trabalho e a Comissão de Defesa Civil da Prefeitura de Cubatão.

Câmara e Prefeitura

SindiPetro

Prefeitura e Câmara já estão oficialmente alertadas. Esta semana, os sindicalistas Adaedson Costa, Marcelo Juvenal, Péricles Augusto e Fábio Mello formalizaram denúncia ao presidente da Câmara Municipal, Rodrigo Ramos Soares, que estuda a criação de uma CEV para apurar as denúncias e encaminhou o assunto para as comissões permanentes da Casa: de Meio Ambiente e de Segurança.

Em seguida protocolaram na Prefeitura, ao chefe de gabinete, César Nascimento, denúncia que explica os efeitos da possível redução de funcionários.

 

bomb1

Uma bomba relógio prestes a explodir:

 

  • 2013

Vazamento de gás ácido na unidade de hidrotratamento durante o uso de uma tubulação de drenagem que estava furada há muito tempo. Este furo, responsável por impedir a drenagem por esta tubulação, era do conhecimento da gerência. O forte odor chegou ao centro de Cubatão, provocando mal estar em várias pessoas.

  • 2015

Durante a partida do Reator da UFCC houve descontrole operacional - consequência direta da péssima parada de manutenção. O reator que converte gasóleo em gasolina e GLP quase explodiu durante a emergência, jogando uma nuvem de gasóleo aquecido no céu de Cubatão.

  • 2016

Vazamento de GLP no parque de esferas da RPBC quase provocou o maior acidente ampliado da Baixada. O equipamento, sem manutenção e deteriorado pela ação do tempo, apresentou vazamento de GLP, formando uma nuvem de 2 metros de altura altamente explosiva com mais de 100 metros de diâmetro ao lado de oito esferas de gases inflamáveis pressurizados. Os operadores conseguiram identificar o vazamento e extinguir a fonte antes da nuvem encontrar uma fonte de ignição, que geraria explosão.

  • 2017

Segundo apurado junto aos sindicalistas, já ocorreram novos vazamentos neste ano, que teriam sido prontamente controlados. Porém não é possível relatar pois não houve registro oficial das eventuais ocorrências.

Eventos Acontece

Forum de Sustentabilidade

Baile Acontece Digital

Ler Jornal

Publicidade

Emprego

Serviços


Praias Estradas