ANJ

ANJ SITE

Industria

Condomínio Industrial doa 50 mil EPIs em Cubatão

 

Os profissionais de saúde que, em Cubatão, atuam na linha de frente do combate ao coronavírus, receberam um importante reforço. Mais de 50 mil equipamentos entre máscaras de proteção respiratória e luvas descartáveis, estão sendo doadas, à Prefeitura, pelo Centro de Integração e Desenvolvimento Empresarial de Cubatão – Cide/BS. A primeira leva, com 30 mil luvas, foi entregue nesta segunda-feira (6).

 

Para o diretor executivo do Cide, Ricardo Salgado, o foco é a diminuição do risco de transmissão. “Entendemos sobre a importância destes materiais para auxílio dos profissionais de saúde que estão na de linha de frente e, com isso, auxiliaremos no que for possível para o combate à pandemia. As indústrias também estão concentradas em ações de prevenção e monitoramento entre os colaboradores das empresas, garantindo uma operação segura”, afirma o diretor.

 

Desinfecção de vias públicas

 

Desde março, indústrias do Polo de Cubatão estão contribuindo de forma integrada para a higienização de ambientes públicos da cidade. Conforme antecipado por acontecedigital, a empresa Unipar forneceu cerca de 110 mil litros de água sanitária para a ação. As empresas Cesari, Terracom e Transportadora Meca participam da aplicação do material.

 

 

Usiminas anuncia medidas

 

Diante do cenário desafiador e inesperado na economia brasileira, surgido no contexto da Pandemia da Covid-19, a Usiminas informa que vem adotando novas medidas de adequação de suas operações ao ambiente de mercado. 

As ações permanecem tendo como foco prioritário a saúde dos colaboradores e familiares, clientes e parceiros da companhia. Consideram, também, a necessidade de equilibrar a força de trabalho e capacidade operacional ao atual ritmo de produção e demanda, de minimizar os impactos no caixa da empresa e de buscar a preservação dos empregos.

 

Entre as adequações para a área operacional de Ipatinga, a serem adotadas a partir do mês de abril, conforme Fato Relevante divulgado pela empresa, está a paralisação temporária das operações dos Altos-Fornos 1 e 2 e as atividades da Aciaria 1. Serão mantidas as operações do Alto-Forno 3, Aciaria 2, laminações e galvanizações. Em decorrência das novas medidas, a empresa irá utilizar bancos de horas, readequação de efetivo de terceirizadas, alteração na tabela de turno, bem como a extensão de home office e a concessão de férias coletivas a parte do efetivo.

 

Já na Usina de Cubatão, na Baixada Santista, a produção será suspensa e será concedida antecipação de férias por 30 dias.

 

A Usiminas reitera que as medidas têm caráter temporário e o objetivo de ajustar sua produção à atual demanda de mercado. As iniciativas seguem a linha de outras empresas do setor e dos próprios clientes da companhia. Cabe ressaltar que a empresa segue recebendo pedidos que venham a ser feitos durante esse período e está preparada para retomar, com agilidade, o ritmo de produção de acordo com a demanda futura.

 

As equipes lotadas nos escritórios, por sua vez, tiveram o regime de home office estendido e as férias de parte dos efetivos da Usiminas Mecânica e da Soluções Usiminas já estão em curso. Para a segurança dos colaboradores que seguirão atuando nas plantas, a companhia segue aplicando todos os protocolos recomendados de medidas preventivas na condução de atividades operacionais. Entre outras ações, foi intensificada a higienização de áreas, aferição de temperatura na entrada da Usina e/ou ônibus, readequação de refeitórios, controle de lotação dos ônibus, cancelamento de viagens e visitas, suspensão de reuniões presenciais, entre outros.

A Usiminas reforça, ainda, que prossegue em permanente avaliação de outras medidas em resposta à pandemia e que poderá, caso necessário, realizar eventuais novas alterações na utilização de seus equipamentos para ajustar-se ao cenário do momento.

 

 

 

Protagonismo feminino no Polo

  

Os últimos anos foram marcados pela busca da equidade de gênero no mercado, frente ao número crescente de mulheres em postos de trabalho.

 

Segundo a Relação Anual de Informações Sociais (Rais) de 2018, do Ministério da Economia, a parcela feminina compõe cerca de 44,1% de profissionais empregados no País.

 

 

Na indústria este cenário é evidente. Com a chegada da Indústria 4.0, fatores como a automatização dos processos produtivos e suas especializações necessárias contribuem para o crescimento das mulheres no setor, principalmente pelo fato de serem atualmente a maioria entre os profissionais que detêm ensino superior e grande parte do público formado em ensino técnico no País, de acordo com a pesquisa da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).

 

 

No Polo Industrial de Cubatão, o protagonismo feminino se faz presente no dia a dia das empresas, em diferentes posições de trabalho, como é o caso da Priscila Almeida Rodrigues, da empresa Petrocoque, e Fabíolla Pereira de Paula, da Unipar.

 

Priscila é engenheira e técnica em química e atua como operadora de campo. Para ela, trabalhar no Polo de Cubatão há dois anos tem sido uma experiência enriquecedora, tanto no âmbito profissional, quanto no pessoal e social. “Poder representar a força da mulher e ser um incentivo a quebrar barreiras, tem sido um retorno surpreendente da minha profissão. E o mais bonito de se ver é esse grande interesse do público feminino pela área industrial, com certeza, a indústria tem muito a ganhar com essa união."

Priscila

 

Fabíolla é coordenadora de Higiene, Saúde e Segurança e destaca dia 8 de março como uma grande oportunidade para reforçar a importância da igualdade entre homens e mulheres. “Trabalho a 12 anos em ambiente industrial e quase 6 anos na Unipar, em Cubatão, liderando a área de Segurança e Saúde. Percebo que o público feminino vem ganhado cada vez mais espaço na área e tenho muito orgulho de fazer parte deste cenário de conquistas das mulheres no mercado de trabalho”.

Fabíolla

 

Para o diretor executivo do Cide, Ricardo Salgado, a equidade reafirma a importância da integração para bons resultados. “As oportunidades sempre devem ser ofertadas a todos, sem qualquer distinção. O Polo hoje conta com profissionais de vários perfis que fazem a diferença em nosso dia a dia e as mulheres são fundamentais para a construção de nosso legado”.

49° aniversário do Ciesp Cubatão 

 

A um ano de seu cinquentenário, o Ciesp Cubatão completou no último mês, mais um clico de atividades e representatividade a favor das indústrias.

 

A regional foi inaugurada em 1971, época em que Cubatão já contava com 23 indústrias de base instaladas no Polo. Desde então, diversas ações e projetos foram capitaneados pela entidade, com destaque para o plano de recuperação ambiental do município, reconhecido pela ONU, e a elaboração do planejamento da Agenda 21 – A Cidade que Queremos. Com sua sede fundada em 1928, na Capital, o Ciesp conta atualmente com 42 regionais no Estado.

 

O Ciesp Cubatão conta com apoio de 44 indústrias associadas dos municípios de Cubatão, Guarujá e Bertioga, dentro de segmentos de base significativos para o setor produtivo: Siderúrgico, Químico, Petroquímico, Fertilizantes, Logístico e de Serviço. Tem como importante papel representar a indústria local em âmbitos institucionais e públicos, nas esferas estadual e nacional.

 

Frente a uma economia em ascensão, a instituição promove a sinergia das indústrias, que atuam em iniciativas e soluções para resultados diferenciados de produção e, consequentemente, no fomento da empregabilidade e comércio locais.

 

Além de contribuir para a retomada do setor industrial, a entidade atua integrada ao poder público, sociedade e demais órgãos para o crescimento do município. Em parceria com as instituições de ensino Senai e Sesi, auxilia no desenvolvimento social por meio da educação e qualificação de jovens das comunidades de Cubatão para o mercado de trabalho, principalmente vocacionados aos segmentos industriais de Cubatão, Guarujá e Bertioga.

 

Este ano, a Diretoria Regional do Ciesp Cubatão terá uma nova composição, formada pelo atual diretor-titular Raul Elias Pinto (Transportadora Meca), pelo 1° vice-diretor Americo Ferreira Neto (Usiminas) e pelo 2° vice-diretor Airton Andrade (Unipar), que assume a ocupação no lugar do ex-diretor José Roberto Heleno de Marquis (Unigel), que permanece como conselheiro. Já a Gerência Regional continua a ser representada por Valmir Ramos Ruiz.

Otimismo

O posicionamento do Ciesp é otimista com a orientação do governo atual, por se tratar de um início de ano de expansão da atividade industrial e aumento da empregabilidade no País, segundo dados apurados pela Fiesp.

 

Em um encontro realizado com o presidente da República, Jair Messias Bolsonaro, na última segunda-feira (3), o presidente da Fiesp e do Ciesp, Paulo Skaf, reforçou que a agenda do governo coincide com a defendida pelos setores produtivos.

 

 

Skaf reforçou que é a favor da recente Reforma da Previdência e das demais reformas estruturantes a serem adotadas pelo governo e enfatizou que o Brasil está no rumo certo. “Estamos entrando em 2020 com otimismo, esperando 2,5 a 3% de crescimento”, cita.

 

Para o diretor-titular do Ciesp Cubatão, Raul Elias Pinto, este é um momento ideal para o incentivo à produtividade e ação efetiva dos municípios.

 

 

“Trabalharemos com foco em atração de novos empreendimentos para a região, principalmente os de indústrias de transformação, bem como manteremos a busca constante por melhoria nos processo das empresas do Polo, por meio das premissas da Indústria 4.0, com o principal objetivo de otimizar a produção e contribuir para o desenvolvimento socioeconômico local”.

A Birla Carbon recebeu pela quarta vez consecutiva a classificação de Ouro da EcoVadis por Práticas Sustentáveis

 

A Birla Carbon recebeu uma classificação de nível Ouro por práticas sustentáveis, pelo quarto ano consecutivo pela EcoVadis. A Birla Carbon foi reconhecida como praticante avançado da Sustentabilidade. A classificação foi concedida após a EcoVadis ter revisado as normas e práticas de sustentabilidade da Birla Carbon, com base no sétimo relatório de sustentabilidade da Birla Carbon, Evoluindo, de Forma Sustentável, Juntos.

 

Joe Gaynor, Diretor Legal, de Sustentabilidade e de Risco, da Birla Carbon, compartilhou: “Essa é a quarta classificação de Ouro consecutiva da Birla Carbon atribuída pela EcoVadis. O sucesso continuado só demonstra que nossa estratégia, envolvimento e execução para nos tornarmos uma organização sustentável estão no rumo certo.” Acrescentou ainda: “enquanto continuamos a perseguir nossa visão para sermos o fabricante de negro de fumo global mais respeitado, sustentável e dinâmico,onosso Propósito ‘Compartilhar a Força’move nosso envolvimento com nossos clientes e fornecedores e motivacada empregado na Birla Carbon para trabalhar na construção do um negócio de negro de fumo sustentável para o futuro.”

 

Com a classificação de ouro, a Birla Carbon continua ocupando uma posição forte entre as principais companhias no espaço das práticas sustentáveis, na categoria de “indústria de outros produtos minerais não metálicos”.

 

A EcoVadis é uma plataforma colaborativa que providencia classificações de sustentabilidade de fornecedores para cadeias de suprimento globais. Desde a sua fundação, em 2007, a EcoVadis se tornou parceira de organizações de compra para mais de 300 das principais multinacionais em todo o mundo. Combinando Pessoas, Processo e Plataforma, a EcoVadis desenvolveu tecnologia e um método de avaliação de Responsabilidade Social Corporativa que cobre 190 categorias de compras, 150 países e 21 indicadores de responsabilidade social. Mais de 55 mil companhias usam a EcoVadis para reduzir riscos, incrementar a inovação e buscar a transparência e confiança entre parceiros comerciais.

Ler Jornal

Facebook

Publicidade

Serviços


Praias Estradas