espaçoacontecegif001

Nova Estação das Artes eterniza Alessandra Palucci

 

ALEPMAE1

 

“Nós governantes, diante da postura que o cargo exige, temos que controlar as emoções. Mas, em momentos como este, a voz do coração fala mais alto que a liturgia do cargo e se torna impossível controlar o sentimento que transborda do coração”, disse o prefeito Ademário, ao conter o choro, na cerimônia de inauguração da Nova Estação das Artes denominada Alessandra Palucci. Com a Voz embargada o prefeito evidenciou a importância da bailarina, ícone no cenário cultural da cidade.

A mãe de Alessandra, Irma Palucci, recebeu uma réplica da placa inaugural das mão do prefeito que teve que ampará-la, diante da forte emoção: “Entregamos nesta data a nova Estação das Artes – um espaço histórico e fundamental para o desenvolvimento da cultura em Cubatão. Esta é uma homenagem a Alessandra Palucci, nossa amada e eterna bailarina, que dedicou toda a sua vida à arte de nossa cidade e contribuiu na formação de centenas de crianças e jovens cubatenses, nos deixando um legado de amor, dedicação e pioneirismo. Um artista nunca morre; vive para sempre em sua arte”.

Banho de lágrimas

Um dos discursos mais comoventes foi de Alessandro Cajé, esposo da  bailarina,  que falou de seus 29 anos de vida em comum, a começar pelo dia em que se conheceram, quando participavam de uma apresentação da Companhia de Teatro Amador de Cubatão (Cotac). “Desde aquela época, ela falava de seu sonho de não só dedicar-se à dança, como bailarina, mas de viver dessa arte. E acabou realizando-o. Agradeço a homenagem que lhe é feita. Em tais  circunstâncias, entretanto, não gostaria que este ato ocorresse. Gostaria, sim, de estar de mãos dadas com ela, hoje”.

CAGÉ

A artista plástica e professora Gilda Alves Ferreira Coelho, que dirigiu a Estação das Artes desde 1999, também se emocionou-se. Ao lado de Julieta dos Santos Wisinesvisk, uma das pioneira do Espaço. “Agradecemos aos que acreditaram em nosso trabalho. Nunca deixamos de acreditar, como Alessandra, que a arte vai além de quatro paredes. Vai até os nossos corações”.

“Estou emocionada porque eu e Alessandra construímos uma caminhada conjunta na arte e na dança”, lembrou a colega Vanessa Toledo, atual secretária municipal de Cultura

ALEVANESS

A Companhia de Dança de Cubatão fez uma homenagem à Alessandra, apresentando uma coreografia especialmente idealizada por Zeca Rodrigues. Apresentaram-se, também, o corpo coreográfico da Banda Marcial de Cubatão e o coral Zanzalá.

Era visível a dificuldade dos artistas em conter a emoção durante as apresentações, finalizadas entre lágrimas: um bálsamo de doce odor, que se elevou à memória do nome, considerado por muitos ícone da cultura local, agora eternizado, na fachada do principal espaço artístico da cidade.

Obras – A Estação das Artes, cujo prédio foi encontrado abandonado e deteriorado, no início do atual governo, foi totalmente reformada, ganhando nova pintura, reforma das redes elétrica e hidráulica, recuperação de telhados e estruturas metálicas, além de contar com mais 300 mIl metros quadrados de pisos em seus espaços externos. A reforma, a cargo da empresa Cesari, custou R$ 265 mil.

O diretor-executivo do Grupo Cesari, HeberBorlenghi, discursou. “Essa é uma obra pela qual tivemos especial carinho. Pedimos a todos que irão usufruir dela que cuidem de sua manutenção”. Também falou o presidente da Câmara Municipal, vereador Fábio Alves Moreira (Roxinho), que parabenizou a todos os idealizadores e responsáveis pelo projeto.

Ler Jornal

Facebook

Publicidade

Serviços


Praias Estradas