Fale com a gente

|

Tempo

Compra: R$

Venda: R$

26 de outubro de 2020

MPT divulga normas para home office

 | Jornal Acontece

Funcionários têm o direito ao descanso, à desconexão, a treinamentos sobre novas tecnologias e a uma estrutura ergonômica adequada, diz o MPT

 

Trabalhar além do horário, em condições inadequadas e sem tempo para cuidar de si e da família. Para algumas pessoas, esses desafios fazem parte do home office.

Para orientar as empresas a criarem melhores condições para seus funcionários, o Ministério Público do Trabalho ( MPT) emitiu uma nota técnica com recomendações para o trabalho remoto ou home office.

 

Funcionários têm o direto ao descanso, à desconexão, a treinamentos sobre novas tecnologias e a uma estrutura ergonômica adequada, diz o MPT.

Segundo o Ministério, o trabalho remoto deve continuar sendo favorecido, mesmo sete meses desde o início da quarentena, “por garantir a saúde pública, medidas de isolamento, continuidade do trabalho e da atividade econômica em efetivo cumprimento ao princípio fundamental de valorização social do trabalho e da livre iniciativa”, diz a nota do MPT.

Para algumas empresas, o home office deve atingir até 50% dos funcionários e muitas apostam no modelo híbrido

Na Petrobras,umexemplo,  todos os funcionários de cargos administrativos podem sinalizar ao RH se desejam fazer o home office por até três dias na semana.

Na Pepsico, o funcionário administrativo da empresa pode escolher a maneira mais conveniente de cumprir a jornada de trabalho, contanto que faça suas tarefas entre às 5 da manhã e às 10 da noite.

Alguns executivos chegam a dizer que o home office pode até salvar o planeta, e vendo bem, se os escritórios nunca mais atingissem sua capacidade total, o tráfego nas cidades e a qualidade de vida dos funcionários melhorariam.

Claro, o trabalho remoto tem suas limitações, segundo uma pesquisa do IPEA (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), no Brasil o teletrabalho é possível para 22,7% das ocupações, essa fatia está abaixo inclusive na América do Sul, como no Chile (25,7%) e nos países desenvolvidos como Luxemburgo (53,4%). Em alguns estados, o trabalho remoto pode ser adotado mais amplamente, como Distrito Federal (31,6%), São Paulo (27,7%) e Rio de Janeiro (26,7%). Já outros, como Piauí (15,6%), Pará (16%) e Rondônia (16, 7%), têm menos possibilidades de trabalho remoto.

Mesmo assim, essa modalidade ainda deve continuar sendo usada mesmo depois do surgimento da vacina para o coronavírus. Por isso mesmo, empresas precisam estar atentas para oferecer as melhores condições aos seus funcionários.

 

70% dos brasileiros querem continuar em home office, diz pesquisa da USP

Descanso, desconexão, tempo para a família

 

Entre as obrigações das empresas, está a observância aos parâmetros da ergonomia quanto aos equipamentos como mesas e cadeiras, que são de extrema importância,  bem como cuidar da organização do trabalho levando em consideração as tarefas a serem desempenhadas e o tempo necessário para cada uma.

As novas tecnologias e formas de trabalho também devem ser ensinadas aos colaboradores.

Para o MPT, “o teletrabalho exige necessariamente adaptação e treinamento (principal e complementar necessário), incluindo treinamento mínimo para o teletrabalho para fins de qualificação e motivação das pessoas, de forma a que sejam atingidos níveis adequados de segurança e higiene”. Intervalos e exercícios laborais, como parar para alongar de vez em quando, também são recomendações para o home office.

Publicidade
Publicidade
NOTÍCIAS RELACIONADAS

26 de outubro de 2020

Vacina AstraZeneca da FioCruz/Oxford chega em Cubatão

Leia mais

26 de outubro de 2020

Cubatão chega a 9 dias sem óbitos por Covid-19

Leia mais

26 de outubro de 2020

Podemos quer barrar fim da gratuidade para idosos de 60 a 64 anos no transporte público de Guarujá

Leia mais
Publicidade
Publicidade
Desenvolvido por KBRTEC