Fale com a gente

|

Tempo

Compra: R$

Venda: R$

07 de outubro de 2021

Clima aumenta incidência de casos de cálculo renal

 | Jornal Acontece

Brasília, DF 7/10/2021 – O clima seco e de altitude, como o de Brasília, favorece a sub hidratação e a desidratação, que são fatores fundamentais para a formação de cálculos urinários.

A temperatura elevada e a baixa umidade relativa do ar, condições comuns em Brasília nessa época do ano, contribuem para o aumento dos casos de cálculo renal. Segundo a Sociedade Brasileira de Nefrologia (SBN), os problemas renais costumam aumentar cerca de 20% em períodos de seca e o principal problema relacionado ao clima é o cálculo renal, também conhecido como “pedra nos rins. “O clima seco e de altitude, como o de Brasília, favorece a sub hidratação e a desidratação, que são fatores fundamentais para a formação de cálculos urinários”, explica o médico urologista Eriston Uhmann. Segundo ele, o problema atinge 15% da população, sendo, aproximadamente, duas vezes mais comum em homens do que em mulheres, principalmente, na faixa etária entre 20 e 40 anos.

De acordo com Uhmann, que faz parte do corpo clínico do Hospital Urológico de Brasília, hábitos alimentares, como ingestão excessiva de sal, proteínas, uso de bebida alcoólica e pouca ingestão de águas, também são fatores relacionados à formação dos cálculos urinários. “É importante mencionar que outros fatores, como as anomalias anatômicas do trato urinário, ou a ocorrência de infecção urinária, também podem estar relacionados”, acrescenta o médico.

Ele explica que os cálculos renais são formados dentro da via excretora (canais por onde a urina passa) e, no momento da eliminação, devido à pressão da urina e à contração do ureter para expulsar o elemento estranho, ocorre a dor (cólica renal ou ureteral). De acordo com o especialista, toda pedra inicia pequena e aumenta de tamanho com o passar do tempo. “Todas estão aderidas na superfície interna do rim (papilas). Quando medem alguns milímetros tendem a se desprender, migrando junto com a urina para o ureter (canal que leva a urina do rim até a bexiga), momento em que desencadeia a cólica. Se o cálculo não for expulso espontaneamente, será necessário removê-lo com cirurgia”, conta.

“Se houver a suspeita de um cálculo urinário, basta realizar um exame de imagem para chegar ao diagnóstico. Muitas vezes, o diagnóstico ocorre quando o paciente é submetido a exames por outro motivo e acaba identificando o cálculo nos rins”, esclarece Dr. Eriston, que acrescenta: “de modo geral, a hidratação adequada é a melhor maneira de fazer a prevenção. É importante entender que a formação dos cálculos pode ter a participação de múltiplos fatores. Muitas vezes necessitando de uma ampla avaliação para o correto diagnóstico e tratamento”.

Website: https://hubrasilia.com.br/

Publicidade
Publicidade
NOTÍCIAS RELACIONADAS

07 de outubro de 2021

Verdades sobre Conversas Difíceis na Carreira.

Leia mais

07 de outubro de 2021

São Vicente abre vagas gratuitas para curso de confeitaria

Leia mais

07 de outubro de 2021

Ciesp realiza missa em capela histórica erguida por família Matarazzo nos anos 20

Leia mais
Publicidade
Publicidade
Desenvolvido por KBRTEC

Este site usa cookies para personalizar conteúdo e analisar o tráfego do site. Conheça a nossa Política de Cookies e os nossos Termos de Uso.