Fale com a gente

|

Tempo

Compra: R$

Venda: R$

31 de agosto de 2021

Dia 30 de agosto foi o último dia do prazo para gestores públicos aderirem ao Programa Nacional de Prevenção à Corrupção

31/8/2021 –

Dia 30 de agosto foi o último dia para gestores públicos aderirem ao Programa Nacional de Prevenção à Corrupção (PNPC). O programa dá acesso ao Sistema e-Prevenção (https://bit.ly/3jcywHs). Na prática trata-se de um autosserviço para auxiliar a diagnosticar suscetibilidade das instituições, como prefeituras e outros órgãos públicos, à corrupção, além de ajudar a melhorar os sistemas institucionais de prevenção.

De caráter orientativo e pedagógico, o PNPC visa reduzir significativamente, com a adesão maciça das organizações públicas ao e-Prevenção, a corrupção no país, elevar a qualidade da gestão pública e viabilizar o atendimento às expectativas da sociedade brasileira.

Voltado a todas as organizações públicas – das três esferas de Governo e dos três Poderes em todos os Estados da Federação – o PNPC é uma iniciativa da Estratégia Nacional de Combate à Corrupção e à Lavagem de Dinheiro (ENCCLA), executada pelas Redes de Controle da Gestão Pública dos 26 Estados e do Distrito Federal, com a coordenação do Tribunal de Contas da União (TCU) e da Controladoria Geral da União (CGU).

Vários entes públicos já aderiram, como a Controladoria Municipal do Rio de Janeiro, a prefeitura de Niterói (RJ), a prefeitura de Palmas (TO), a prefeitura de Uberlândia (MG), a Câmara Municipal de Itaguaí (RJ), a prefeitura de Ivaiporã (PR), a Câmara Municipal de Campina Grande (PB), e órgãos como o Conselho Regional de Farmácia de São Paulo, entre outros.

Mas ainda há os que não decidiram pela adesão ao PNPC. Em São Paulo, o Tribunal de Contas do Estado (TCESP), por exemplo, divulgou comunicado na semana passada para reafirmar a importância da adesão dos gestores paulistas ao Programa Nacional de Prevenção à Corrupção.

“É crucial que os gestores públicos façam a adesão a iniciativas como o PNPC e o integrem a outras ações, caso do recém-criado Sistema de Integridade Pública do Poder Executivo Federal (Sipef). Programas voltados à prevenção, detecção e sanção de práticas de corrupção, fraudes e de outros desvios éticos e de conduta devem ser vistos tanto pelos gestores públicos quanto pela população como obrigatórios para que o Brasil avance, como um todo, no aprimoramento da administração pública”, avalia Roberto Coelho, especialista em gestão pública.

O especialista esclarece que a governança se preocupa com a qualidade dos serviços públicos. Ela está ligada ao controle dos orçamentos. Em um primeiro momento, adequar as práticas ao que preconizam programas como o PNPC pode ser uma tarefa complexa, mas há sistemas de apoio à gestão que facilitam essa transição.

Roberto Coelho cita como exemplo o sistema GRP, sigla em inglês para Planejamento dos Recursos Governamentais, focado em governança. O GRP é um sistema que permite organizar e controlar, sendo um mecanismo fundamental para que os gestores possam combater a corrupção. Ele é permanentemente atualizado de acordo com as leis federais, estaduais e municipais, sendo uma plataforma capaz de integrar as mais diversas áreas de governo.

Presidente do Conselho da GOVERNANÇABRASIL – GOVBR, Roberto Coelho diz que a atualização do sistema a cada nova medida, como o PNPC, “é possível porque acompanhamos diuturnamente os movimentos do governo para nos capacitarmos permanentemente a prestar o melhor suporte aos gestores públicos”, afirma. Fundada em 1994, a GOVBR é uma das líderes em desenvolver soluções para uma gestão pública com governança.

Prefeituras de MG e RJ relatam compromisso contra a corrupção

A prefeitura de Niterói já avançou no engajamento ao Programa Nacional de Prevenção à Corrupção. Segundo a prefeitura, será elaborado um plano de ação com iniciativas a serem implementadas na administração municipal. Todas as ações do PNPC e de outros programas anticorrupção estão totalmente alinhadas ao Plano de Integridade – Previne Niterói, que está sendo implementado em toda a administração pública do município.

A prefeitura de Uberlândia diz que a medida resultará em mais transparência junto à sociedade. “É um compromisso assumido pela prefeitura tornar próximos a população e o serviço público e temos na transparência dos nossos atos um grande aliado (…) justamente para que os moradores de Uberlândia tenham acesso facilitado às informações, ao atendimento de demandas e funcionamento de cada órgão e também ao portal da transparência da cidade. Além disso, regulamentamos procedimentos para padronizar, organizar e ampliar a fiscalização de licitações e contratos. Agora, vamos contar com a expertise do TCU e da CGU para ampliarmos nossas ferramentas de trabalho em prol da otimização das ações municipais”, ressalta a secretária municipal de Governo e Comunicação e coordenadora do Comitê de Governança Pública do Município, Ana Paula Junqueira.

Parcerias

O PNPC oferece, ainda, parcerias com órgãos e entidades públicas e privadas para implantação de mecanismos de combate à corrupção.

Por meio da plataforma, as organizações podem acompanhar a evolução até que atinjam níveis elevados de integridade capazes de proporcionar a segurança desejada para as tomadas de decisões cotidianas.

Website: https://www.govbr.com.br/

Publicidade
Publicidade
NOTÍCIAS RELACIONADAS

31 de agosto de 2021

Casos de coqueluche crescem após queda de cobertura vacinal

Leia mais

31 de agosto de 2021

Verdades sobre Conversas Difíceis na Carreira.

Leia mais

31 de agosto de 2021

São Vicente abre vagas gratuitas para curso de confeitaria

Leia mais
Publicidade
Publicidade
Desenvolvido por KBRTEC

Este site usa cookies para personalizar conteúdo e analisar o tráfego do site. Conheça a nossa Política de Cookies e os nossos Termos de Uso.