Fale com a gente

|

Tempo

Compra: R$

Venda: R$

15 de dezembro de 2021

Vendas on-line seguem em alta e se consolidam no Brasil

 | Jornal Acontece

Rio de Janeiro 15/12/2021 – O consumidor está pronto para comprar em múltiplos canais, de forma cada vez mais rápida e mais fácil, não tem como fugir – Sergio Pereira.

Se há pouco tempo muitos brasileiros tinham medo de fazer compras remotamente, com a pandemia muitos viram esta forma de compra como a única alternativa momentânea. Esse tipo de consumo também deixou de ser sazonal, quando muitos compravam em datas como a Black Friday. Tanto que em pesquisa recém divulgada pela Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm), as vendas on-line correspondem a 11,6% do setor varejista no país, e o mesmo nunca sai da casa de dois dígitos fazendo uma análise do ano. 

A maior parte das compras é feita por dispositivos móveis, cerca de 80% dos consumidores utilizam o celular para fazer suas escolhas através do aparelho ou de aplicativos de marcas. E elas se movimentaram bastante para se adequar e trazer qualidade e facilidade para os seus clientes. 

Analisando dados do ano passado, em 2020 o comércio eletrônico cresceu 35%. Um setor que acompanhou esse crescimento foi o mercado infantil. Para se ter uma ideia a previsão de aumento das vendas para 2021/2022 é de 6% a 7%, incluindo as vendas on-line. Vale lembrar que o segmento representa 16% do setor têxtil, onde o Brasil ocupa a quinta posição mundial.

“Sentimos que as pessoas perderam o receio de comprar através do e-commerce, e incluímos as mães que tinham dúvidas sobre tamanho, modelagem, entre outras questões. Então sentimos a necessidade de melhorar nosso site, ajudando a facilitar a vida do nosso cliente da melhor forma possível. Nosso trabalho é feito para atender o consumidor, por onde ele está disposto a comprar”, conta Sergio Pereira, diretor comercial da Alphabeto. 

Este ano também serviu para consolidar este tipo de comércio. Se em 2020 ele atingiu seu ápice no país, agora é o momento que o consumidor já está adaptado a nova realidade. Segundo pesquisa divulgada na 44ª edição do Webshoppers, no mais amplo relatório sobre comércio eletrônico do país elaborado pela Ebit l Nielsen, em parceria com o Bexs Banco, são 6,2 milhões de novos consumidores estáveis. E são eles que ajudaram a aumentar o ticket médio, já que chegam com um apetite mais alto do que as pessoas que estão acostumadas com este ambiente. 

“Esse movimento de consolidação é natural. A pandemia fomentou um crescimento muito forte no ano passado. O importante é que o e-commerce está mantendo o patamar elevado graças ao serviço prestado pelas lojas e pela adaptação das pessoas ao ambiente on-line” explica o líder de e-commerce da Ebit l Nielsen, Marcelo Osanai.

E é de olho neste andamento e tendência do mercado que muitas empresas vão seguir, unindo a plataforma de compra às redes sociais e criando um ambiente único e conectado. 

“O consumidor está pronto para comprar em múltiplos canais, de forma cada vez mais rápida e mais fácil, não tem como fugir. E além de todas as formas digitais, a venda pelo WhatsApp também está em alta e traz números significativos para quem também adotou este caminho, explica Sergio.  

Website: http://www.alphabeto.com

Publicidade
Publicidade
NOTÍCIAS RELACIONADAS

15 de dezembro de 2021

Vem aí a 5ª Semana da Cultura Caiçara

Leia mais

15 de dezembro de 2021

Cinco benefícios proporcionados pela Lei do Bem

Leia mais

15 de dezembro de 2021

IBRI e ABRASCA promovem 23ª edição do Encontro de RI nos dias 27 e 28 de junho

Leia mais
Publicidade
Publicidade
Desenvolvido por KBRTEC

Este site usa cookies para personalizar conteúdo e analisar o tráfego do site. Conheça a nossa Política de Cookies e os nossos Termos de Uso.