Fale com a gente

|

Tempo

Compra: R$

Venda: R$

09 de dezembro de 2021

Trio Baru oferece apresentações e oficina musical para jovens do DF

 | Jornal Acontece

Brasília/DF 9/12/2021 – Fechamos nossas atividades de 2021 com essas apresentações que têm cunho social e ampliam nossa responsabilidade artística e educacional, diz Nelson Latif.

Sensibilizar, propiciar aprendizado e apresentar uma nova forma de expressão artística: a música instrumental brasileira. É com essa missão que os músicos do Trio Baru afinam os instrumentos e iniciam uma agenda muito especial neste mês de dezembro: desta vez, estritamente voltada para participantes do programa Jovem de Expressão e aos alunos da Escola Meninos e Meninas do Parque. A agenda tem início no próximo sábado (11) no espaço do Jovens de Expressão, às 16h. E no dia 16 (quinta-feira), às 11h, na Escola Meninos e Meninas do Parque.

A proposta dos músicos do Trio Baru é possibilitar o contato destes jovens com a música instrumental por meio da formação de plateia e da vivência com instrumentos em oficinas musicais. O processo de ressocialização deste público após o distanciamento social durante a pandemia do novo Coronavírus também é uma busca do grupo, neste novo contexto em que as apresentações culturais voltaram a acontecer em Brasília.

O Jovens de Expressão funciona há 14 anos, 11 deles na Praça do Cidadão, em Ceilândia Norte-DF. Trata-se de um programa do R.u.a.s – Rede Urbana de Ações Socioculturais, uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP), que atende, anualmente, uma média de 42 mil pessoas com ações em prol da comunidade e juventude do DF. Mais de 462 mil já foram impactadas. Atualmente, o programa oferece oficinas culturais, pré-vestibulares e Pré-Pais (prova específica para o ensino médio), entre outras atividades.

Para Rayane Silva Soares, coordenadora do Jovens de Expressão, a atividade musical oferecida aos participantes do programa tem sincronia com as oferecidas regularmente e vem trazer uma proximidade com os músicos e a arte. “Nosso trabalho prioriza a cultura, que é uma ferramenta de aproximação e uma linguagem para promover a criatividade e a formação de nossos jovens”. Segundo ela, os participantes não estão habituados com a música instrumental brasileira em seus cotidianos e conhecer o estilo musical é uma excelente ferramenta de socialização. “Com esse tipo de atividade, eles passam pelo processo de construção de identidade, afirmado pela força da cultura e assim aprendem a valorizá-la, o que traz empoderamento a eles”, avalia.

Já a EMMP – Escolas dos Meninos e Meninas do Parque é uma instituição pública, que foi inaugurada em 18 de abril de 1995 para atender a crianças e adolescentes que viviam nas marquises da Rodoviária. Segundo a pedagoga, Amelinha Araripe, atual gestora da instituição, a partir de 2013/2014 iniciou-se o atendimento aos adultos em vulnerabilidade, a maioria em situação de rua.

Localizada no estacionamento 6, no Parque da Cidade, a unidade escolar possui 212 estudantes matriculados e, nesta pandemia, com todos os cuidados necessários, atende por meio de rodízio diário cerca de 50 alunos devido ao distanciamento orientado pela SEEDF. “A Escola exerce sua função pedagógica baseando-se na Pedagogia Freireana e de Vigostk e realiza uma educação humanizada, emancipatória e principalmente, feliz, onde cada elemento da comunidade escolar é peça fundamental no ´tabuleiro´ da vida”, relata.

A coordenadora explica que a escola prioriza a arte, música e poesia nas ações escolares, contando assim com a parceria de artistas da cidade. “Até porque este é o único espaço onde a população de rua tem acesso à cultura é no ambiente escolar, que é o espaço de pertencimento”, acrescenta. O Trio Baru já se apresentou na unidade escolar e desta vez participará do evento de Formatura 2021 “Tempo de Cuidar, Natal Dá Vida”.

Carreira de 15 anos

O Trio Baru promove, desde outubro deste ano, a Circulação 15 anos – uma turnê de espetáculos comemorativos ao tempo de atuação do grupo. Atualmente, o grupo apresenta um novo espetáculo com sonoridades diversificadas trazidas por Clássicos da MPB, Choro, Samba e Tango, mantendo sua marca registrada com arranjos inovadores. O repertório revisita ícones da música brasileira – com composições de João Bosco e Aldir Blanc, Jacob do Bandolim, Waldir Azevedo, Egberto Gismonti, Dominguinhos e Oswaldinho, Milton Nascimento e Lô Borges, Baden Powell, Tom Jobim, Garoto, Geraldo Vandré a Astor Piazzola – grande representante do tango argentino.

O Trio Baru é formado por Nelson Latif, Bosco Oliveira e Sandro Alves, artistas que têm suas histórias profissionais entrelaçadas à valorização da música instrumental. Os três fazem parte da boa safra de instrumentistas brasileiros da década de 80 e podem ser vistos com mais frequência em palcos de Brasília – cidade do músico Bosco Oliveira, que também conquistou palcos de outras metrópoles nacionais com carreira individual paralela, sempre se dedicando à música Flamenca. O paulistano Nelson Latif, nos últimos anos, tem se dividido entre a Europa e o Brasil e encontrou no Choro a sua principal referência. Já o percussionista carioca, Sandro Alves, é conhecido por unir ritmos tradicionais brasileiros com influências modernas e participa simultaneamente de projetos musicais diversificados.

Segundo Nelson Latif, o calendário comemorativo da turnê está numa fase bastante ativa, no formato presencial e agora cumpre sua função social, colocando os músicos em contato com jovens que não têm acesso ao estilo musical que interpretam. “Fechamos nossas atividades de 2021 com essas apresentações que têm cunho social e ampliam nossa responsabilidade artística e educacional, o que para nós é também um excelente aprendizado e uma troca muito rica”, comenta Latif.

Além das apresentações presenciais, a agenda on-line do trio permanece aberta para acessos. Os interessados devem acessar o link do canal YouTube: https://www.youtube.com/c/NelsonLatif ou seguir os canais do Coletivo Educação pela Arte.

A temporada comemorativa do grupo é uma realização da Fakhouri Produções Artísticas, com apoio do Coletivo Educação pela Arte e Secretaria de Cultura e Economia Criativa. O projeto é realizado com recursos do FAC (Fundo de Apoio à Cultura do Distrito Federal) – principal instrumento de fomento às atividades artísticas e culturais da Secretaria de Cultura do DF, que oferece apoio financeiro a projetos selecionados por editais públicos.

Foto: Tiago Berinjela

Website: http://www.triobaru.com

Publicidade
Publicidade
NOTÍCIAS RELACIONADAS

09 de dezembro de 2021

Prazo para regularização é ampliado para 31 de março

Leia mais

09 de dezembro de 2021

Comece a pensar na programação de sábado. Centro Histórico é a dica

Leia mais

09 de dezembro de 2021

Confira as apresentações musicais do Estação Verão Praia até domingo

Leia mais
Publicidade
Publicidade
Desenvolvido por KBRTEC

Este site usa cookies para personalizar conteúdo e analisar o tráfego do site. Conheça a nossa Política de Cookies e os nossos Termos de Uso.