Fale com a gente

|

Tempo

Compra: R$

Venda: R$

13 de dezembro de 2021

CDHU oferece acordos especiais para 42,3 mil mutuários endividados pela pandemia

 | Jornal Acontece
Campanha de final de ano visa regularização das dívidas de mutuários que perderam emprego e renda em função da Covid 19 e ficaram inadimplentes a partir de janeiro de 2020; outro grupo de inadimplentes também pode aderir a acordo

 
 
A Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano (CDHU), empresa pública vinculada à Secretaria de Estado da Habitação, está lançando uma campanha de final de ano para regularizar a dívida contraída por 42.395 mutuários a partir de janeiro de 2020 em razão da perda de emprego ou renda por causa das medidas restritivas impostas durante a pandemia. A companhia oferece condições para que os mutuários possam quitar suas dívidas sem juros, multa ou entrada.

 
“Queremos incentivar os nossos mutuários a regularizar suas dívidas e assim começar o ano com mais tranquilidade. Por isso estamos oferecendo condições muito especiais para as famílias aderirem a esse acordo”, explicou o secretário de Estado da Habitação, Flavio Amary.

“A maioria dos nossos mutuários está em dia com suas mensalidades, mas uma parcela foi afetada pela pandemia e acabou atrasando os seus pagamentos mensais. Essa campanha de final de ano é direcionada justamente para ajudar esse grupo a manter seus imóveis”, completou o presidente da CDHU, Silvio Vasconcellos.

 
 

Dois grupos

 
Os acordos são direcionados para dois grupos de mutuários que estão com parcelas atrasadas a partir de janeiro de 2020 por causa da pandemia. No primeiro grupo, estão incluídos 15.714 contratos inadimplentes que não tinham realizado nenhum acordo anterior com a CDHU. O segundo grupo é formado por 26.681 mutuários que já tem algum tipo de acordo administrativo ou judicial com a CDHU. Em ambos os casos, a CDHU oferece pagamento à vista ou parcelamento do débito sem cobrança de juros, multa e entrada. E a parcela mínima é de R﹩ 55,00.

 
A diferença é que no primeiro grupo o parcelamento da dívida – sem juro, mora, multa e entrada, é feito ao longo da vigência do contrato de financiamento e a primeira prestação pode ser paga em até 60 dias. No segundo grupo, a negociação prevê a suspensão das prestações em atraso do acordo vigente para serem pagas ao final do contrato, sendo que a retomada dos pagamentos deve ocorrer em até 30 dias.

 
Para os mutuários com dívidas anteriores a 2020, num total de 8.003, a CDHU também oferece a oportunidade de efetivação de acordo administrativo com o pagamento de entrada de apenas uma prestação.

 
Além de assegurar a manutenção dos imóveis dos mutuários endividados, essa campanha também irá propiciar o aumento da arrecadação, cujos valores serão reinvestidos na produção de novas moradias, beneficiando mais famílias. No total, a dívida dos mutuários contemplados pelo acordo atinge R﹩ 113,1 milhões.

 

Adesão pelos canais oficiais da CDHU

 
Para aderir ao acordo administrativo, sem entrada, o mutuário com dívidas a partir de janeiro de 2020 deverá acessar o site da CDHU. Já o mutuário que tem um acordo e ficou em atraso a partir de janeiro de 2020 deverá ingressar nesta página da CDHU . Em ambos os casos, o mutuário também pode obter informações no Alô CDHU pelo número 0800 000 2348 ou agendando atendimento presencial nas gerencias regionais da companhia.
Publicidade
Publicidade
NOTÍCIAS RELACIONADAS

13 de dezembro de 2021

De graça; Federal oferece 5400 vagas em cursos superiores.

Leia mais

13 de dezembro de 2021

Poupatempo realiza mais um mutirão neste sábado (18) para renovação de CNHs vencidas em março e abril de 2020

Leia mais

13 de dezembro de 2021

Primeiro mutirão para renovação de CNH acontece neste sábado

Leia mais
Publicidade
Publicidade
Desenvolvido por KBRTEC

Este site usa cookies para personalizar conteúdo e analisar o tráfego do site. Conheça a nossa Política de Cookies e os nossos Termos de Uso.