Fale com a gente

|

Tempo

Compra: R$

Venda: R$

16 de agosto de 2017

Convênios

Prefeitura já pode receber recursos e celebrar convênios com o Governo Estadual

Agora falta sair do Cadin federal. Dívidas não honradas pela administração anterior jogaram Cubatão no rol dos maus pagadores
A partir desta semana, a Prefeitura Municipal de Cubatão já pode celebrar convênios e receber recursos do governo estadual. A Vara da Fazenda Pública do Estado de São Paulo acatou pedido da Procuradoria Geral do Municipio e deferiu liminar retirando a Prefeitura do Cadastro Informativo dos Créditos não Quitados de Órgãos e Entidades Estaduais, o Cadin estadual.
Quando assumiu há oito meses, o prefeito Ademário da Silva Oliveira já encontrou a Prefeitura inscrita no Cadin estadual e no Cadin federal devido a dívidas não honradas pela administração anterior. Essa situação complicou ainda mais as já combalidas finanças do município, que ficou impedido de receber qualquer recurso ou celebrar convênios com o governo do Estado de São Paulo e com o governo federal.

Federal – Agora, o procurador geral do município, Rogério Molina de Oliveira, informa que continuam os estudos para, nos próximos dias, impetrar ação com pedido de liminar para retirar a Prefeitura do Cadastro Informativo de Créditos não Quitados do Setor Público Federal, o Cadin federal.
De acordo com Rogério Molina, enquanto a Prefeitura estiver inscrita no cadastro de dívida ativa da União, na Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional, a exemplo do Cadin estadual, também não pode receber recursos nem celebrar convênios com o governo federal.
No entanto, ainda segundo Molina, a Prefeitura de Cubatão precisa solucionar a divida, deixada pela administração anterior, com a Caixa de Previdência dos Servidores Municipais de Cubatão para obter o Certificado de Regularidade Previdenciária (CRP).

Parcelamento – O superintendente da Caixa de Previdência dos Servidores Municipais de Cubatão, Aparecido Amaral de Carvalho, por sua vez, afirma que o prefeito Ademário Oliveira está empenhado em aderir ao programa de parcelamento de débitos previdenciários dos Regimes Próprios de Previdência Social – RPPS,  lançado pelo Ministério da  Previdência Social.
“A administração municipal – explica Amaral – está procurando viabilizar  instrumentos financeiros e orçamentários para aderir ao parcelamento da dívida com a Caixa de aproximadamente R$ 110 milhões, herdada da administração petista, e ter acesso ao Certificado de Regularidade Previdenciário”.

Publicidade
Publicidade
NOTÍCIAS RELACIONADAS

16 de agosto de 2017

Alesp aprova projeto que estimula implantação da tecnologia 5G nos municípios

Leia mais

16 de agosto de 2017

Grupo de executivos cria rede solidária de combate à fome e ajuda comunidades

Leia mais

16 de agosto de 2017

Baixada em alerta de tempestade

Leia mais
Publicidade
Publicidade
Desenvolvido por KBRTEC

Este site usa cookies para personalizar conteúdo e analisar o tráfego do site. Conheça a nossa Política de Cookies e os nossos Termos de Uso.