Fale com a gente

|

Tempo

Compra: R$

Venda: R$

17 de outubro de 2018

desemprego

Possivel parque tecnológico é debatido por gestores locais

Dos 40 mil desempregados na Baixada Santista, 12 mil são de Cubatão. Diante disso, foi realizado, na Câmara Municipal, uma Audiência Pública sobre a possibilidade da Implantação do Parque Tecnológico e Geração de Emprego.

A iniciativa partiu de Herbert Passos, presidente do Sindicato dos Químicos da Baixada Santista, e Luiz Carlos de Andrade, vice-presidente do Sintracomos. Em conjunto com a Comissão de Indústria, Comércio, Emprego, Trabalho e Renda, presidida pelo vereador Toninho Vieira (PSDB).

O representante do Sintracomos criticou a atuação do Condesb, que, para ele, não vem dando o suporte adequado para a geração de empregos na região. O sindicalista sugeriu a criação de um Centro de Desenvolvimento Econômico ou um Parque Tecnológico, nos moldes do que foi feito em Londrina (PR), Campinas (SP) e São José dos Campos (SP).

Herbert Passos afirmou que a retomada do crescimento e da empregabilidade na região passa pelo fortalecimento das empresas de grande porte. Ele indicou o Centro Integrado de Manufatura e Tecnologia (Cimatec) da Bahia como modelo para Cubatão. O sindicalista defende a implantação de um Centro de Manutenção na cidade, que poderia ter como clientes as indústrias de Mauá, mas, para isso, segundo ele, a administração deveria reduzir os custos (taxas e impostos) para instalação de fábricas desse segmento.

Além deles, Marcos Espírito Santo, secretário municipal de Emprego e Desenvolvimento Sustentável, tambem participou da audiência. Marcos afirmou que sua pasta vem trabalhando para efetivar convênios com entidades como CIESP e SEST/SENAT. O secretário criticou a chamada “troca de camisa”, em que algumas empresas demitirem funcionários e, posteriormente, contratam os mesmos com salários reduzidos.

Valmir Ramos Ruiz, gerente executivo da unidade regional do CIDE e CIESP, afirmou que a desativação do alto forno na Usiminas e a fusão de algumas empresas contribuíram para o fechamento de postos de trabalho em Cubatão. Ruiz destacou que a cidade precisa mudar sua vocação industrial, passando a receber também indústrias de transformação, como a da linha branca. Ele ainda defendeu a política de privilegiar a contratação de trabalhadores cubatenses.
O vereador Marcinho (PSB), Rodrigo Alemão (PSDB) e Edison da Silva Oliveira, representante regional da Secretaria Estadual de Emprego e Relações do Trabalho, também estavam presentes. Toninho garantiu novas reuniões para dar continuidade ao tema.

Publicidade
Publicidade
NOTÍCIAS RELACIONADAS

17 de outubro de 2018

Novo coronavírus

Leia mais

17 de outubro de 2018

Combate a Dengue

Leia mais

17 de outubro de 2018

Expediente em Cubatão

Leia mais
Publicidade
Publicidade
Desenvolvido por KBRTEC

Este site usa cookies para personalizar conteúdo e analisar o tráfego do site. Conheça a nossa Política de Cookies e os nossos Termos de Uso.