Fale com a gente

|

Tempo

Compra: R$

Venda: R$

Jornal Acontece

08 de maio de 2018

Manifesto

‘Locação de balsas é a solução mais rápida para amenizar problema’, afirma Válter Suman

Proposta foi feita durante reunião que aconteceu na manhã desta terça (08), em Guarujá, onde um manifesto com seis propostas foi elaborado e apresentado as autoridades

Guarujá recebeu na manhã desta terça (08), autoridades municipais e ligadas ao Porto de Santos e área portuária para tratar do acidente ocorrido na noite do último domingo (06). Na reunião, comandanda pelo prefeito do Guarujá, Válter Suman, foi apresentado um manifesto com seis propostas para minimizar os impactos do ocorrido.

Entre as propostas definidas estão: a implantação de um Centro de Monitoramento de Mar, Terra e Ar; solução imediata, por meio dos responsáveis pelo acidente, das ações para amenizar o isolamento de Guarujá (exemplo: aluguel de balsas); que as cidades sejam envolvidas, ou pelo menos informadas, do andamento das apurações de todos os acidentes emanados da atividade portuária; entre outras (ver manifesto abaixo).

O prefeito de Guarujá destacou a importância de que uma alternativa seja adotada o quanto antes para minimizar os impactos do acidente. “A locação de balsas seria o meio mais rápido para que a população não seja tão prejudicada”.

Já o vice-prefeito de Santos apontou a importância de as autoridades “darem as mãos” neste momento, fazendo uma discussão política do assunto. Ele propôs a discussão sobre a descentralização do poder portuário. “Quero ver um Porto com mais carga e movimentação, mas quero também que tenhamos condições de administrar esse Porto”.

O acidente

No último domingo (06), perto das 20h30, o navio Santos Express colidiu com três balsas na entrada do Porto. Duas das balsas estavam atracadas no pier do estaleiro e sofreram danos grandes, e por isso estão fora de operação. A terceira balsa, sofreu danos menores e esteve em operação na segunda, mas será retirada para manutenção. Não houve vítimas no ocorrido.

O cargueiro concluiu, na noite de ontem, as operações no terminal da DP World Santos, na Margem Esquerda, na Área Continental de Santos, mas não poderá deixar o complexo até que seja apresentado um laudo sobre suas condições.

Leia o MANIFESTO na íntegra:

“Em razão do acidente ocorrido no último domingo, dia 6 de maio, no qual o navio Santos Express colidiu com três balsas na travessia entre Guarujá e Santos, importante destacar que em pelo menos uma das embarcações não houve vítimas por uma questão de minutos.

Levando em consideração que tal acidente reitera aquilo que observamos por tempos, sucessivos acidentes ocorrendo no canal de navegação e entorno, destacando o acidente com um navio chinês em julho de 2009, que inviabilizou um atracadouro; recentemente a queda de 46 contêineres – lembrando que ainda continuam no mar pelo menos 38 deles; e agora este incidente filmado e divulgado amplamente pelas redes sociais; não há como ignorar que medidas precisam ser tomadas ou reforçadas para garantir a segurança da população que está na região portuária.

Guarujá e Santos, em especial, mais uma vez são as principais cidades atingidas pela situação, pois a diminuição em 25% da frota que opera no local – considerado o maior sistema de travessia de balsas do mundo – trará prejuízos ao cotidiano dos usuários do serviço.

Aos finais de semana e feriados, isso recrudescerá sobremaneira, atingindo sensivelmente a mobilidade urbana, com consequências à economia e ao turismo, e trazendo prejuízos para ambas as cidades.

Desta feita, reiterando os termos da Carta do Guarujá, escrita em agosto de 2017 – momento que vivíamos os efeitos do acidente com o navio Log-In Pantanal – o prefeito de Guarujá e vice-presidente do Conselho de Desenvolvimento da Baixada Santista (Condesb), Válter Suman, convocou reunião que se realizou nesta terça-feira, dia 8 de maio, com a presença das autoridades subscritas neste documento. Após intensa análise sobre o acidente e a segurança no canal de navegação, foram consensuadas as seguintes propostas, que serão aprofundadas em reunião com o Conselho de Autoridade Portuária (CAP) nos próximos dias.

Propostas:
1) Implantação de um Centro de Monitoramento de Mar, Terra e Ar;
2) Solução imediata, por meio dos responsáveis pelo acidente, das ações para amenizar o isolamento de Guarujá (exemplo: aluguel de balsas);
3) Que as cidades sejam envolvidas, ou pelo menos informadas, do andamento das apurações de todos os acidentes emanados da atividade portuária;
4) Seja criado um grupo para elaboração completa de um Plano de Prevenção de Acidentes, em razão do trânsito no canal e entorno;
5) Descentralização das decisões dos assuntos portuários – regionalização;
6) Implantação, em caráter de urgência, dos projetos da ligação seca Guarujá-Santos;

Autoridades presentes na reunião:

Válter Suman – prefeito de Guarujá
Sandoval Soares – vice-prefeito de Santos
Eduardo Nocetti – gerente da Companhia Docas Estado de São Paulo (Codesp)
Marcos Camargo – Assessor da Capitania dos Portos
Anderson Crozara – gerente de Segurança da Codesp
Marcelo Adahir – capitão de Fragata, chefe do Departamento de Segurança de Tráfego Aquaviário
Luiz Fernando Stefani – comandante do 21º Batalhão de Polícia Militar de Guarujá
Diniz Filho – comandante do Grupamento de Bombeiros Marítimos (GBMAR)
Heriberto de Andrade Silva – comandante do 6º Grupamento de Bombeiros
Marco Antonio Couto Perez – delegado da Polícia Civil do Guarujá
Martha Vergine – Delegada do Porto de Santos
Magno Julião dos Santos – tenente coronel CPI-6
Daniel Onias Nossa – chefe de departamento da Defesa Civil Santos
Jairo Nobre – presidente da Associação Comercial e Empresarial de Guarujá (Aceg)
Simone Agria – presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) de Guarujá
Marcelo Tadeu do Nascimento – Advogado Geral do Município de Guarujá
Marcelo Nascimanto – secretário-adjunto de Defesa e Convivência Social
Gustavo Prado – Assessor Jurídico da Agência Metropolitana da Baixada Santista (Agem)
Luciano de Moraes Rocha, Tody – vereador de Guarujá
Gilberto Venâncio Alves – secretário de Coordenação Governamental de Guarujá
Sidnei Aranha – secretário de Meio Ambiente de Guarujá
Fabrício Henrique – chefe de Gabinete de Guarujá
Luiz Cláudio Venâncio Alves – secretário de Defesa e Convivência Social
Carlos Smicelato – diretor da Defesa Civil de Guarujá
Alexandre Trombelli – secretário de Desenvolvimento Econômico e Portuário de Guarujá
Claudio Paes Rodrigues – secretário-adjunto de Infraestrutura e Obras de Guarujá
Rodrigo Beccari – diretor de Trânsito de Guarujá
Marcelo Nicolau – diretor de Transparência e Controle de Guarujá.”

Publicidade
Publicidade
NOTÍCIAS RELACIONADAS

08 de maio de 2018

Novo coronavírus

Leia mais

08 de maio de 2018

Combate a Dengue

Leia mais

08 de maio de 2018

Expediente em Cubatão

Leia mais
Publicidade
Publicidade
Desenvolvido por KBRTEC

Este site usa cookies para personalizar conteúdo e analisar o tráfego do site. Conheça a nossa Política de Cookies e os nossos Termos de Uso.