Fale com a gente

|

Tempo

Compra: R$

Venda: R$

24 de outubro de 2021

O que é hipnoterapia e pra quem é recomendado?

 | Jornal Acontece

A hipnoterapia é uma técnica terapêutica que auxilia no tratamento de determinados sintomas como: insônia, ansiedade, perda de peso, etc. Essa é uma vertente da terapia que deve ser aplicada por um hipnoterapeuta.

Mas o que é a hipnoterapia, para que serve e quando é recomendado o uso dessa vertente da terapia? Vamos entender um pouco mais sobre no post de hoje.

O que é a hipnoterapia?

A hipnoterapia é o uso terapêutico da hipnose. Ela consiste na aplicação de técnicas hipnóticas através da terapia, sendo usada muitas vezes para o tratamento de transtornos emocionais, psicológicos, físicos, sentimentos indesejados e hábitos.

Ou seja, a hipnoterapia utiliza a hipnose para reeducar a mente subconsciente tratando emoções armazenadas ao longo de toda a vida, modificando padrões de comportamento que acabam sabotando ou adoecendo o paciente.

A hipnoterapia se tornou reconhecida no Brasil e no mundo em meados de 2018, o Ministério da Saúde a incluiu no SUS como Práticas Integrativas e Complementares (PICS).

No Brasil, a hipnoterapia vem tendo cada vez mais seu reconhecimento como uma opção eficiente e com resultados significativos para tratar inúmeras doenças, fobias, vícios, dores crônicas e demais problemas de saúde.

Muitas vezes, o problema costuma ser resolvido em até 90% com apenas 3 sessões da hipnoterapia. Doenças diagnosticadas como incuráveis pela medicina tradicional, podem ser tratadas com a hipnoterapia e com ótimos resultados.

Para que serve a hipnoterapia?

Quando realizada em um consultório, a hipnose clínica traz inúmeros benefícios, incluindo a cura de algumas doenças físicas ou emocionais.

A hipnose faz com que o paciente encontre dentro de si, força e confiança para conseguir enfrentar os problemas e recuperar o equilíbrio e bem-estar.

Os problemas mais comuns tratados na hipnoterapia são:

  • Fobias;
  • Depressão;
  • Síndrome do pânico;
  • Transtorno obsessivo compulsivo (TOC);
  • Ansiedade;
  • Insônia;
  • Estresse;
  • Transtornos alimentares;
  • Bruxismo;
  • Doenças psicossomáticas;
  • Enxaqueca;
  • Dores e problemas sexuais (impotência, diminuição da libido, ejaculação precoce, etc.);
  • Luto/Separação;
  • Perda de peso;
  • Mudança de hábitos;
  • Hipnose regressiva;
  • Medos/Insegurança;
  • Obesidade;

Benefícios da hipnoterapia

  1. Autoconhecimento

A hipnoterapia permite com que o paciente faça uma introspecção em seu interior, desse modo ele consegue se conhecer melhor.

Esse autoconhecimento consiste em saber como se controlar, conhecer seus limites, adquirir inteligência emocional e aprender a se amar.

  1. Sem efeitos colaterais

O tratamento da hipnoterapia não tem nenhum efeito colateral, se o profissional for experiente.

A hipnose clínica é um tratamento 100% natural, já que a única ferramenta a ser utilizada é a mente humana. A hipnoterapia também ajuda no tratamento de doenças psicológicas em pacientes que fazem tratamento psiquiátrico, demonstrando grande sucesso em alguns casos.

Porém, ainda é recomendado o auxílio de um psiquiatra ou psicólogo em determinados casos.

  • Tão eficiente quanto as outras terapias

De acordo com uma pesquisa realizada pela revista American Health Magazine, a hipnoterapia é tão eficaz quanto três tipos de terapia:

  • Psicanálise – teve uma taxa de 38% de sucesso na recuperação dos pacientes após 11 anos e meio, cerca de 600 sessões.
  • Psicologia comportamental – conseguiu uma taxa de 72% de sucesso na recuperação de pacientes, durando cerca de 6 meses – 22 sessões.
  • Hipnose – obteve 93% de sucesso na recuperação dos pacientes, durando 1 ano e meio, após 6 sessões.

Muitos dos pacientes conseguem perceber as diferenças logo na primeira sessão, sendo extremamente eficaz e atuando diretamente no seu subconsciente.

 

Modelo da mente

Para entender como a hipnoterapia funciona, é necessário saber como a mente humana funciona. O sistema chamado Modelo da Mente divide a mente em três partes, são elas:

  • Mente inconsciente

É instintiva. A mente inconsciente controla o sistema nervoso autônomo e o sistema imunológico. Ela é responsável também pelas reações automáticas de defesa – descargas de adrenalina quando se sentir ameaçado, por exemplo.

 

  • Mente consciente

Está relacionada ao córtex pré-frontal, reagindo a consciência e aos pensamentos. A mente consciente possui quatro estruturas de funcionamento:

  • Memória funcional (de curto prazo):

Possui espaço limitado sendo assim, guarda apenas aquilo que é importante e precisa ser lembrado sem muito esforço;

  • Memória analítica

É responsável pela tomada de decisões – desde as mais simples, como qual roupa escolher, até as mais complicadas, como escolher qual profissão seguir.

 Ela acessa as informações do passado e escolhe sempre o que é mais próximo do conhecido.

  • Memória racional

Sua principal função é criar justificativas, desculpas e motivos para dada ação, que nem sempre é racional.

  • Memória força de vontade

É ela que mantém as pessoas decididas em seu objetivo. Porém, não se sustenta por muito tempo quando está ligada a mudanças ou programações mentais profundas demais. Por esse motivo é difícil se desligar de velhos hábitos.

 

  • Mente subconsciente

É nela que vive a essência e a pessoa real – é na mente subconsciente que acontece a hipnose. Funciona como um computador novo, sem nenhum programa instalado, ao nascer.

Entre as funções que a mente subconsciente possui, a memória a longo prazo está nela, funciona como uma câmera que captura experiências e guarda todas em um banco de dados ilimitados.

Incluem hábitos que se desenvolveram a partir de repetições e podem ser classificados como: bons, neutros e ruins.

Quando considerado necessário, a mente subconsciente utiliza as emoções junto com as memórias. Levando a autopreservação – a quarta função da mente.

Caso o subconsciente esteja em uma situação considerada ameaçadora, cada vez que passar por situações similares, sua mente irá emitir um alarme de perigo, liberando uma emoção de preservação, evitando a exposição extrema.

A ociosidade é a herança ancestral dos seres humanos – e a última função da mente subconsciente. Antigamente, conseguir alimentos com regularidade era difícil, por isso, a mente percebeu que economizar energia evitando mudanças era o ideal. Entretanto, o problema é que ela ainda mantém esses padrões, sendo eles bons ou ruins. Por isso começar a prática de exercícios físicos é tão difícil.

 

Para quem é recomendada a hipnoterapia?

Toda e qualquer pessoa pode acabar se beneficiando com a hipnoterapia, desde crianças a idosos. Porém, não é recomendado para pessoas que possuem esquizofrenia ou qualquer outra doença em que exista uma alteração da realidade ou percepção.

Já sabemos o que é a hipnoterapia e quando ela é indicada. Para saber mais é necessário procurar um hipnoterapeuta de confiança e que tenha prática na hipnoterapia.

Acesse o Jornal Acontece e fique informado sobre as principais notícias da baixada santista.

Publicidade
Publicidade
NOTÍCIAS RELACIONADAS

24 de outubro de 2021

Dia Mundial de Luta contra a Aids: diagnóstico precoce e tratamento oportuno são importantes para controle da doença

Leia mais

24 de outubro de 2021

Gripe ou Covid-19? Saiba o que fazer se seu filho apresentar sintomas

Leia mais

24 de outubro de 2021

Governo anuncia segunda dose e reforço para vacina Janssen

Leia mais
Publicidade
Publicidade
Desenvolvido por KBRTEC

Este site usa cookies para personalizar conteúdo e analisar o tráfego do site. Conheça a nossa Política de Cookies e os nossos Termos de Uso.