Fale com a gente

|

Tempo

Compra: R$

Venda: R$

Jornal Acontece

01 de maio de 2021

Aumenta a lista de golpes no WhatsApp. Veja os principais no momento:

 | Jornal Acontece

Recentemente se tornou comum receber um whatsApp de um amigo pedindo dinheiro emprestado através de transferência bancária. Como o golpe está ficando manjado, estelionatários estão ampliando o leque de enganação.

A ‘novidade’ da semana é o envio de cobrança ilegal pelo WhatsApp para mutuários da CDHU. Em comunicado ao Acontece, a Companhia alerta que não faz negociações, nem envia boletos pelo aplicativo.

“A Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano (CDHU), órgão ligado à Secretaria de Estado da Habitação, alerta para a ação de golpistas que entram em contato com mutuários pelo WhatsApp para fazer cobranças falsas e oferecer acordos para saldar dívidas”.

Transferência bancária:
A mais comum nos últimos meses.
Os marginais clonam o celular de uma vítima e passam a mandar mensagem de texto e, com uma ‘desculpa esfarrapada’, pedem transferência bancária, para devolver ‘amanhã’.
Ao receber qualquer pedido por mensagem, ligue para a pessoa, para confirmar, antes de qualquer ‘boa ação’.

Engenharia social:
Quando te pedem para “confirmar” seus dados

Empresas legítimas não pedem que você forneça seus dados, principalmente a senha do seu cartão.

No máximo é a instituição que deve dizer quais são as suas informações e cabe a você apenas confirmar, mas ainda assim é preciso sempre ter atenção;

Fraude amigável:
Cuidado com quem acessa seu celular

Evite emprestar seu cartão para terceiros, muito menos envie fotos do seu cartão para outra pessoa usar.

Boletos falsos:
fique de olho nos dados do beneficiário e pagador .

Verifique sempre os dados do beneficiário e do pagador, pois eles precisam estar corretos para garantir que o boleto é verdadeiro.

Muitas empresas e Companhias não fazem cobrança pelo WhatsApp, como é o caso da CDHU.

Loja que não aceita cartão:  
Desconfie quando a opção de pagamento por meio do cartão de crédito não está disponível;

Phishing e smishing:

Sites e mensagens que “pescam” suas senhas e informações pessoais

Evite clicar em links recebidos por e-mail ou mensagens e sempre prefira buscar pelo site digitando o endereço direto no navegador. Quando a oferta é muito tentadora, desconfie sempre, mesmo em datas especiais como a Black Friday;

Falsa Central de Atendimento

Empresas legítimas não entram em contato para confirmar dados de cartão de crédito. Jamais informe sua senha e seu código de segurança por telefone, e-mail ou mensagem;

Golpe do WhatsApp

Para evitar que golpes pelo WhatsApp aconteçam, ative a verificação em duas etapas do seu aplicativo. Vá em Configurações > Conta > Verificação em duas etapas. Assim, uma senha é cadastrada e solicitada periodicamente.

Alvo da semana, CDHU alerta:

Em nota ao Acontece, a Companhia informa:
“Estelionatários se fazem passar por funcionário da CDHU, oferecem negociação da dívida com grandes descontos e enviam os boletos falsos pelo WhatsApp ou por e-mail que não pertence à CDHU. Os endereços de e-mail oficiais da CDHU terminam sempre com @cdhu.sp.gov.br ou @apoiocdhu.sp.gov.br. A empresa não usa e-mail público (gmail, hotmail, ig e outros).

Para enganar os mutuários, os fraudadores afirmam que estão enviando a mensagem pelo aplicativo porque os postos presenciais da CDHU estão fechados e a Central de Atendimento Alô CDHU (0800) está inoperante por conta da pandemia. Vale ressaltar que a Central de Atendimento nunca deixou de funcionar durante todo período de pandemia e os escritórios regionais possuem regras especificas de atendimento presencial, em respeito às leis locais, e isso está informado no site da CDHU, entretanto, estão permanentemente disponíveis pelos telefones regionais e e-mail institucional.

Com isso, reforçamos ao mutuário que a CDHU não negocia nem envia boletos por WhatsApp; não solicita qualquer tipo de depósito ou transferência bancária ou PIX para pagamento de boletos ou quitação de débitos; e seus boletos são emitidos apenas pela Caixa Econômica Federal ou Banco do Brasil, cujos códigos de barras iniciam com 104 ou 001.

Outra orientação é conferir sempre o nome do titular e o endereço do imóvel impressos no boleto. Em caso de dúvida, consulte apenas os canais oficiais, como o site http://www.cdhu.sp.gov.br ou ligue para o Alô CDHU: 0800 000 2348, que está operando normalmente. Para consultas presenciais o mutuário pode procurar um dos Postos do Poupatempo, onde o atendimento está funcionando.

A CDHU comunica que está tomando todas as providencias necessárias para coibir a ação destes golpistas. As famílias contatadas estão sendo orientadas a fazer Boletim de Ocorrência, independentemente de terem efetuado ou não pagamentos”.

Publicidade
Publicidade
NOTÍCIAS RELACIONADAS

01 de maio de 2021

Auxílio Brasil tem caráter permanente e continuará sendo pago pelos próximos anos

Leia mais

01 de maio de 2021

Beneficiários do Bolsa do Povo podem optar por atendimento via WhatsApp ou ligação gratuita

Leia mais

01 de maio de 2021

Caminhoneiros e taxistas começaram a receber benefício emergencial

Leia mais
Publicidade
Publicidade
Desenvolvido por KBRTEC

Este site usa cookies para personalizar conteúdo e analisar o tráfego do site. Conheça a nossa Política de Cookies e os nossos Termos de Uso.