Fale com a gente

|

Tempo

Compra: R$

Venda: R$

Jornal Acontece

01 de maio de 2021

Aumenta a lista de golpes no WhatsApp. Veja os principais no momento:

 | Jornal Acontece

Recentemente se tornou comum receber um whatsApp de um amigo pedindo dinheiro emprestado através de transferência bancária. Como o golpe está ficando manjado, estelionatários estão ampliando o leque de enganação.

A ‘novidade’ da semana é o envio de cobrança ilegal pelo WhatsApp para mutuários da CDHU. Em comunicado ao Acontece, a Companhia alerta que não faz negociações, nem envia boletos pelo aplicativo.

“A Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano (CDHU), órgão ligado à Secretaria de Estado da Habitação, alerta para a ação de golpistas que entram em contato com mutuários pelo WhatsApp para fazer cobranças falsas e oferecer acordos para saldar dívidas”.

Transferência bancária:
A mais comum nos últimos meses.
Os marginais clonam o celular de uma vítima e passam a mandar mensagem de texto e, com uma ‘desculpa esfarrapada’, pedem transferência bancária, para devolver ‘amanhã’.
Ao receber qualquer pedido por mensagem, ligue para a pessoa, para confirmar, antes de qualquer ‘boa ação’.

Engenharia social:
Quando te pedem para “confirmar” seus dados

Empresas legítimas não pedem que você forneça seus dados, principalmente a senha do seu cartão.

No máximo é a instituição que deve dizer quais são as suas informações e cabe a você apenas confirmar, mas ainda assim é preciso sempre ter atenção;

Fraude amigável:
Cuidado com quem acessa seu celular

Evite emprestar seu cartão para terceiros, muito menos envie fotos do seu cartão para outra pessoa usar.

Boletos falsos:
fique de olho nos dados do beneficiário e pagador .

Verifique sempre os dados do beneficiário e do pagador, pois eles precisam estar corretos para garantir que o boleto é verdadeiro.

Muitas empresas e Companhias não fazem cobrança pelo WhatsApp, como é o caso da CDHU.

Loja que não aceita cartão:  
Desconfie quando a opção de pagamento por meio do cartão de crédito não está disponível;

Phishing e smishing:

Sites e mensagens que “pescam” suas senhas e informações pessoais

Evite clicar em links recebidos por e-mail ou mensagens e sempre prefira buscar pelo site digitando o endereço direto no navegador. Quando a oferta é muito tentadora, desconfie sempre, mesmo em datas especiais como a Black Friday;

Falsa Central de Atendimento

Empresas legítimas não entram em contato para confirmar dados de cartão de crédito. Jamais informe sua senha e seu código de segurança por telefone, e-mail ou mensagem;

Golpe do WhatsApp

Para evitar que golpes pelo WhatsApp aconteçam, ative a verificação em duas etapas do seu aplicativo. Vá em Configurações > Conta > Verificação em duas etapas. Assim, uma senha é cadastrada e solicitada periodicamente.

Alvo da semana, CDHU alerta:

Em nota ao Acontece, a Companhia informa:
“Estelionatários se fazem passar por funcionário da CDHU, oferecem negociação da dívida com grandes descontos e enviam os boletos falsos pelo WhatsApp ou por e-mail que não pertence à CDHU. Os endereços de e-mail oficiais da CDHU terminam sempre com @cdhu.sp.gov.br ou @apoiocdhu.sp.gov.br. A empresa não usa e-mail público (gmail, hotmail, ig e outros).

Para enganar os mutuários, os fraudadores afirmam que estão enviando a mensagem pelo aplicativo porque os postos presenciais da CDHU estão fechados e a Central de Atendimento Alô CDHU (0800) está inoperante por conta da pandemia. Vale ressaltar que a Central de Atendimento nunca deixou de funcionar durante todo período de pandemia e os escritórios regionais possuem regras especificas de atendimento presencial, em respeito às leis locais, e isso está informado no site da CDHU, entretanto, estão permanentemente disponíveis pelos telefones regionais e e-mail institucional.

Com isso, reforçamos ao mutuário que a CDHU não negocia nem envia boletos por WhatsApp; não solicita qualquer tipo de depósito ou transferência bancária ou PIX para pagamento de boletos ou quitação de débitos; e seus boletos são emitidos apenas pela Caixa Econômica Federal ou Banco do Brasil, cujos códigos de barras iniciam com 104 ou 001.

Outra orientação é conferir sempre o nome do titular e o endereço do imóvel impressos no boleto. Em caso de dúvida, consulte apenas os canais oficiais, como o site http://www.cdhu.sp.gov.br ou ligue para o Alô CDHU: 0800 000 2348, que está operando normalmente. Para consultas presenciais o mutuário pode procurar um dos Postos do Poupatempo, onde o atendimento está funcionando.

A CDHU comunica que está tomando todas as providencias necessárias para coibir a ação destes golpistas. As famílias contatadas estão sendo orientadas a fazer Boletim de Ocorrência, independentemente de terem efetuado ou não pagamentos”.

Publicidade
Publicidade
NOTÍCIAS RELACIONADAS

01 de maio de 2021

Cinco pontos para entender como a reforma tributária impacta a vida das empresas

Leia mais

01 de maio de 2021

Silvio Santos é internado com H1N1 em São Paulo

Leia mais

01 de maio de 2021

Saiba como vai funcionar a trava para a alíquota máxima dos novos impostos

Leia mais
Publicidade
Publicidade
Desenvolvido por KBRTEC

Este site usa cookies para personalizar conteúdo e analisar o tráfego do site. Conheça a nossa Política de Cookies e os nossos Termos de Uso.