Fale com a gente

|

Tempo

Compra: R$

Venda: R$

20 de fevereiro de 2018

34 anos

Programação relembra tragédia da Vila Socó

Documentários vão retratar a madrugada do dia 24 de fevereiro de 1984, quando o fogo consumiu cerca de 2 mil moradias. Mesa redonda e culto ecumênico também estão na programação

Quase meia-noite do dia 23. O forte cheiro de combustível sentido muitas horas antes deu lugar ao fogo que, durante a madrugada do dia 24 de fevereiro de 1984 consumiu cerca de 2.000 moradias erguidas sobre um duto de combustíveis corroído. A contagem oficial de cerca de 100 mortos até hoje é contestada. Uma das maiores tragédias nacionais, que os moradores de Cubatão não querem esquecer. Mais: querem que nunca se repita. Por isso, dentro do lema adotado “Sempre lembrar, jamais esquecer”, nesta semana uma programação municipal evoca os 34 anos deste incêndio, com filmes (dia 22), debates (dia 23) e um ato ecumênico (no sábado, 24). Os eventos são abertos ao público e ocorrerão na UME João Ramalho (dias 22 e 23, às 19 horas) e na Praça da Cidadania da Vila São José (dia 24, às 16 horas).

A programação é organizada pela Comissão de Moradores da Vila São José, com apoio da Prefeitura através da Ouvidoria Municipal e de outras secretarias. A Comissão Organizadora compreende as entidades Acelc – Vila São José, Associação de Moradores da Vila São José e Associação Novo Amanhã.

Programação – Está prevista para a quinta (22) a apresentação de documentários e videorreportagens sobre o incêndio, entre eles “Vila Socó – Uma Tragédia Anunciada”, de Diego Moura, documentarista residente na Vila São José, que também participará de uma mesa-redonda após a exibição, junto com Allan Nóbrega e Leandro Ordonez, que estão produzindo um documentário sobre o tema. Igualmente serão exibidos e comentados o vídeo: “Cubatão Urgente”, de João Batista de Andrade, e o documentário “Vila Socó – A Verdade Apagada” (do jornalista Rodrigo Hidalgo, com produção de Tony Chastinet, da TV Bandeirantes), ganhador do Prêmio Esso de Telejornalismo de 2014.

Na sexta (23), estão previstos debates sobre o que poderia ter sido feito para evitar aquela tragédia, 34 anos atrás, e o que pode ser feito para prevenir agora a ocorrência de situações semelhantes, agora. Participarão da mesa de debates autoridades ambientais, jornalistas, advogados e representantes da comunidade.

Para a tarde do sábado, está sendo organizado um culto ecumênico na Praça da Cidadania, com a realização de homenagens a bombeiros, entre outros atos destinados a perpetuar a memória dos acontecimentos de 1984.

Publicidade
Publicidade
NOTÍCIAS RELACIONADAS

20 de fevereiro de 2018

Morre Marcos Diniz, da Terracom

Leia mais

20 de fevereiro de 2018

Sebrae está com inscrições abertas para painel online sobre inteligência emocional

Leia mais

20 de fevereiro de 2018

Ipem-SP fiscaliza botijões de gás de cozinha no litoral de SP

Leia mais
Publicidade
Publicidade
Desenvolvido por KBRTEC

Este site usa cookies para personalizar conteúdo e analisar o tráfego do site. Conheça a nossa Política de Cookies e os nossos Termos de Uso.