Fale com a gente

|

Tempo

Compra: R$

Venda: R$

DINO

25 de novembro de 2022

Atividade física é aliada no fortalecimento e equilíbrio de idosos

A prática regular de atividades físicas é importante em todas as etapas da vida, inclusive na velhice. Isso porque os exercícios adequados ajudam no fortalecimento muscular e preservam as habilidades motoras. Outro benefício importante é a recuperação do equilíbrio, uma vez que quatro a cada dez pessoas acima dos 70 anos sofrem ao menos uma queda por ano, segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde).

A importância dos exercícios físicos na terceira idade é imensa para o fortalecimento da musculatura e dos ossos, além de melhorar a função imunológica e cognitiva. É uma maneira de preservar a saúde, especialmente o equilíbrio. Os idosos podem sofrer muitas quedas que, por sua vez, podem causar lesões graves.

Segundo Mônica Marques, diretora técnica da Cia Athletica, outro benefício é o aumento da autoestima, já que a prática regular de atividade física permite que a pessoa com mais de 60 anos mantenha a autonomia em tarefas do dia a dia. Inclusive, uma vida ativa pode ajudar a melhorar quadros depressivos. Mesmo com tantos pontos positivos, os treinos devem ser autorizados por um médico e feitos com o acompanhamento de um profissional.

“Quando o idoso é sedentário, o ideal é começar aos poucos com práticas de 10 a 15 minutos. Com o passar do tempo, é possível aumentar o ritmo e a intensidade, além de incluir exercícios mais dinâmicos, sempre respeitando os limites individuais. Alongamento, caminhada, ioga, musculação e pilates costumam ser muito eficientes para minimizar os efeitos do envelhecimento”, indica Mônica.

O treinamento funcional também é uma opção, dado que os exercícios são inspirados nos movimentos naturais do corpo humano, como caminhar, pular e agachar. Todas as modalidades, quando praticadas corretamente, auxiliam tanto no fortalecimento muscular quanto na preservação motora e do equilíbrio. Então, a dica é escolher a atividade que traga mais prazer ao indivíduo.

Vale lembrar que uma vida saudável com o treino regular também ajuda a minimizar os efeitos de outras doenças, como Alzheimer, Parkinson e esclerose múltipla. Se o idoso registrar muitas quedas, é preciso investigar se há algum problema subjacente, tais como efeito de medicações, perda de visão e diminuição da flexibilidade das articulações. 

Idosos acamados

Mesmo os idosos acamados não devem ficar totalmente parados e podem fazer alguns exercícios para ajudar na circulação do sangue, prevenindo o surgimento de úlceras e feridas. Os movimentos são simples, como abrir e fechar os dados das mãos, mexer os cotovelos em todas as direções, dobrar e esticar as pernas, dobrando e abrindo em seguida, entre outros.

“Além disso, é possível realizar um exercício respiratório, que pode ser feito com ou sem o uso de um aparelho específico. O idoso deve estar sentado e inspirar profundamente, puxando bastante ar, prender por alguns segundos e soltar em seguida. O ideal é que o médico indique os melhores exercícios de acordo com a condição de cada pessoa”, exemplifica Mônica, da Cia Athletica.

 

Publicidade
Publicidade
NOTÍCIAS RELACIONADAS

25 de novembro de 2022

Temperatura e vibrações são desafios logísticos nos transplantes de órgãos

Leia mais

25 de novembro de 2022

ABIMAQ realiza curso voltado ao Fluxo de Caixa

Leia mais

25 de novembro de 2022

Congresso internacional discute os desafios da educação

Leia mais
Publicidade
Publicidade
Desenvolvido por KBRTEC

Este site usa cookies para personalizar conteúdo e analisar o tráfego do site. Conheça a nossa Política de Cookies e os nossos Termos de Uso.