Fale com a gente

|

Tempo

Compra: R$

Venda: R$

Jornal Acontece

24 de novembro de 2022

Cidade participa de Congresso de Acessibilidade e Inclusão na Educação

 | Jornal Acontece

Evento ocorreu nesta quarta (23), no Instituto Federal de São Paulo/Campus Cubatão

 

A inclusão em Praia Grande não acontece apenas de fora para dentro. Com a chegada do professor de educação física Gilberto Moyano, que tem deficiência visual, a Secretaria de Educação (Seduc) demonstra na prática que o acesso se torna comum a todos. Desta forma, a pasta municipal marcou a participação no Congresso de Acessibilidade e Inclusão na Educação (CAIE) 2022, realizado nesta quarta-feira (23), pelo Instituto Federal de São Paulo (IFSP), Campus Cubatão.

 

A edição deste ano teve início nesta quarta e segue até sexta-feira (25). Durante os três dias, o congresso trabalha como tema central “Desigualdade na Educação – Uma Discussão Necessária”. A Secretaria de Educação (Seduc) de Praia Grande participou do debate “Enfrentamento da Desigualdade na Educação – Presente e Futuro”, que contou com representantes de sete das nove cidades que compõem a Região Metropolitana da Baixada Santista.

 

Praia Grande foi representada pela secretária de Educação, a professora Cida Cubilia. A titular da pasta municipal apresentou como as questões de inclusão e acessibilidade são administradas no Município. Para dar conta das demandas e necessidades, a Seduc conta com a Coordenadoria de Educação Especial e Inclusiva que atua para garantir o acesso aos alunos público-alvo.

 

A responsável pela Educação em Praia Grande destacou a importância de momentos como o Congresso de Acessibilidade e Inclusão na Educação. “O número de alunos público-alvo da Educação Especial aumentou consideravelmente nesta retomada das aulas presenciais. Por isso, esse evento tem papel de relevância fundamental, ainda mais ao reunir os representantes das cidades que compõem a região da Baixada Santista para debater essa questão”, enfatizou.

 

Durante a participação praia-grandense, Cida Cubilia destacou os atendimentos realizados nas escolas municipais. Atualmente, a Seduc conta com mais de 2 mil alunos com laudos inseridos em unidades do ensino regular. Para auxiliar no acolhimento desta demanda, a rede conta com 26 salas de Atendimento Educacional Especializado (AEE). Para 2023, a Secretaria de Educação estuda a ampliação do serviço com a implantação de mais sete equipamentos de AEE.

 

Entretanto, para a pasta municipal praia-grandense, a inclusão e acessibilidade não se restringe apenas ao atendimento de alunos público-alvo da Educação Especial. A secretária compartilhou com os presentes outras ações adotadas para garantir o acesso ao ensino nesta retomada às aulas presenciais após o período mais crítico da pandemia. O lançamento do programa Página a Página, a implantação do Plano Trienal de Recuperação da Aprendizagem e atuações voltadas para saúde socioemocional foram alguns dos exemplos.

 

Para fechar a participação, Cida Cubilia trouxe o depoimento do professor de educação física Gilberto Moyano. Deficiente visual, o docente dá aulas para alunos do 4º e 5º ano do Ensino Fundamental na EM Thereza Magri, situada no Bairro Antártica. “Quando ele chegou na rede foi uma surpresa. Temos o privilégio de acompanhar o trabalho de um profissional que busca fazer a diferença e supera as adversidades a cada dia. Buscamos, de alguma forma, mostrar aos alunos o respeito às diferenças de forma prática”

 

 

 

Foto:PMPG
Publicidade
Publicidade
NOTÍCIAS RELACIONADAS

24 de novembro de 2022

Confira as atrações musicais da Vila Junina 2024

Leia mais

24 de novembro de 2022

3º Encontro Anual de Carros Tunados e Rebaixados acontece neste domingo

Leia mais

24 de novembro de 2022

Menina de 3 anos precisa de ajuda para realizar o sonho de andar

Leia mais
Publicidade
Publicidade
Desenvolvido por KBRTEC

Este site usa cookies para personalizar conteúdo e analisar o tráfego do site. Conheça a nossa Política de Cookies e os nossos Termos de Uso.