Fale com a gente

|

Tempo

Compra: R$

Venda: R$

20 de novembro de 2021

Começa mega vacinação em todo o país

 | Jornal Acontece

O Ministério da Saúde enviou cerca de 360 milhões de doses para todos os estados e Distrito Federal, quantitativo de vacinas suficiente para o cumprimento de todas essas etapas da campanha

 

Neste sábado (20) foi iniciada a Mega Campanha de vacinação contra a Covid-19 por todo o Brasil. Mais de 38 mil salas de vacinação por todo o país estavam prontas para proteger os 21 milhões de pessoas que ainda não tomaram a segunda dose da vacina. E para chamar atenção da importância de completar o esquema vacinal, o Ministério da Saúde mobilizou seis capitais por todas as regiões do país: Rio de Janeiro (RJ), São Paulo (SP), Manaus (AM), Curitiba (PR), Brasília (DF) e Salvador (BA)

 

Na Região Sul, a ação ocorreu na Unidade de Saúde Ouvidor Pardinho, em Curitiba (PR) e até o fechamento desta edição, o município já tinha aplicado 6.164 doses na capital paranaense. No Sul, quase dois milhões de pessoas podem tomar a segunda dose. O Paraná é o estado da região com maior quantitativo de pessoas com o ciclo vacinal incompleto: são 728.7 mil paranaenses que precisam tomar a segunda dose da vacina. No Rio Grande do Sul e em Santa Catarina são, respectivamente, 692,7 mil e 531,7 mil pessoas que ainda não estão completamente protegidas com as duas doses. 

 

Na Região Nordeste, a capital escolhida para a mobilização foi Salvador (BA), que centralizou as ações na Arena Fonte Nova e foi onde mais 600 pessoas receberam a segunda dose da vacina. Além disso, a capital baiana contou com mais de 60 postos de vacinação nas modalidades drive trhu e para pedestres. Nos estados do Nordeste, mais de 6,7 milhões de brasileiros precisam voltar aos postos de vacinação para a segunda dose. A Bahia tem 2 milhões de pessoas nessa mesma situação, seguida pelo Ceará, com 1,3 milhão de brasileiros com o ciclo vacinal incompleto.

 

Pela Região Centro-Oeste, a ação do Dia D foi realizada no Distrito Federal com 4 pontos estratégicos: 8 feiras com grande circulação de pessoas, na Rodoviária do Plano Piloto e em outros espaços públicos. Os estados da região mais o Distrito Federal somam mais de 1,5 milhão de pessoas aptas a receberem a segunda dose do imunizante: São 174 mil no Distrito Federal, 394,2 mil em Goiás, 201,6 mil em Mato Grosso e 219,5 em Mato Grosso do Sul. Além disso, quase um milhão de pessoas já podem tomar a dose de reforço ainda em novembro. 

 

Na Região Norte do país, Manaus (AM) foi uma das seis capitais do país a realizar a Mega Vacinação contra a Covid-19, neste sábado (20) e, por lá, a mobilização se concentrou na Arena da Amazônia. Mas outros trinta postos de vacinação foram distribuídos na cidade, vacinando na modalidade drive-thru e pedestre. No norte, o Pará é o estado com o maior número de pessoas que podem se vacinar com a segunda dose. São mais de um milhão de pessoas só nesse estado. Em seguida vêm os estados do Amazonas, com 436,7 mil, e Rondônia, com 180,2 mil pessoas que ainda não retornaram para completar o esquema vacinal. 

 

Na Região Sudeste, as cidades de São Paulo e do Rio de Janeiro participaram da ação. Na capital paulista, o evento de mobilização foi realizado na UBS Jardim Colombo, na Zona Sul de São Paulo (SP), e cerca de 14 mil pessoas foram vacinadas contra a Covid-19. Segundo o Ministério da Saúde, São Paulo tem 4,1 milhões de pessoas que podem tomar a segunda dose. Em Minas Gerais são 2,3 milhões que precisam completar o esquema vacinal. No Espírito Santo, 336,6 mil pessoas já podem tomar a segunda dose.

 

Para o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, o sucesso dessa campanha de vacinação se deve pela força-tarefa formada pelos profissionais de saúde do sistema público e todo o esforço na luta contra a Covid-19. “O Brasil tem sido, hoje, um case de sucesso no enfrentamento da pandemia. E isso só é possível graças à extraordinária força do Sistema Único de Saúde (SUS), cujo pilar central foi a encomenda tecnológica à AstraZeneca para produzir vacinas no Brasil. Com infra nacional, na nossa Fundação Oswaldo Cruz, que é um patrimônio de todos os brasileiros”, afirmou.

 

O Rio de Janeiro foi a cidade onde o ministro da Saúde participou e a que centralizou as atividades nacionais do evento. Por lá, o secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz, destacou que essa campanha é um marco para o Brasil. “Esse sábado é muito importante para o Brasil e para a cidade do Rio de Janeiro. Hoje a gente tem mais de seis mil profissionais de saúde trabalhando na campanha, são 280 pontos de vacinação. Está tudo mobilizado para a vacina contra a Covid-19. A gente espera que o Rio de Janeiro continue avançando na campanha”, avaliou. 

 

Entre as pessoas que podem tomar a segunda dose, cerca de 2,9 milhões têm entre 30 e 34 anos, faixa etária com o maior número de pessoas que não voltaram ao posto de vacinação. O grupo de jovens é o segundo maior, com aproximadamente 2,8 milhões de brasileiros que têm entre 25 e 29 anos. A recomendação do Ministério da Saúde é para que os brasileiros voltem aos postos de vacinação, mesmo após o prazo recomendado pelos fabricantes. Os intervalos entre as doses da Pfizer e Astrazeneca são de 8 semanas e da Coronavc, 28 dias.

 

O Ministério da Saúde distribuiu, até o momento, cerca de 360 milhões de doses para todos os estados e Distrito Federal, quantitativo de vacinas suficiente para o cumprimento de todas essas etapas da campanha. Dessas, quase 300 milhões foram aplicadas, o que significa um saldo de aproximadamente 60 milhões de doses a mais.

 

Apesar de este sábado ser o “Dia D” da Mega Vacinação contra a Covid-19 – que é considerada pelo Governo Federal, como a maior campanha da história brasileira;  a iniciativa continua de segunda a sexta-feira da próxima semana. 

 

Dados da Covid-19 

O Brasil registrou mais 13.355 casos e 226  óbitos por Covid-19, de acordo com o balanço mais recente do Ministério da Saúde. Desde o início da pandemia, mais de 22.003.317 milhões de brasileiros foram infectados pelo novo coronavírus. 

 

O Rio de Janeiro ainda é o estado com a maior taxa de letalidade entre as 27 unidades da federação: 5,15%. O índice médio de letalidade do País está em 2,8%. 

 

Taxa de letalidade nos estados

SP    3,46%
AM    3,22%
PE    3,16%
MA    2,83%
PA    2,79%
GO    2,65%
AL    2,62%
PR    2,59%
CE    2,59%
MS    2,56%
MG    2,54%
MT    2,52%
RO    2,43%
RS    2,42%
PI    2,18%
BA    2,17%
SE    2,17%

ES    2,13%
PB    2,12%
DF    2,10%
AC    2,10%
RN    1,98%
TO    1,70%
SC    1,62%
AP    1,61%
RR    1,60%

Os números têm como base o repasse de dados das Secretarias Estaduais de Saúde ao órgão. Acesse as informações sobre a Covid-19 no seu estado e município no portal brasil61.com/painelcovid.  
 

Fonte: Brasil 61

 

 

Publicidade
Publicidade
NOTÍCIAS RELACIONADAS

20 de novembro de 2021

Não há motivo para pânico, diz OMS sobre variante Ômicron

Leia mais

20 de novembro de 2021

Praia Grande reduz intervalo da terceira dose para pessoas acima de 18 anos

Leia mais

20 de novembro de 2021

Nova mutação chega ao Brasil

Leia mais
Publicidade
Publicidade
Desenvolvido por KBRTEC

Este site usa cookies para personalizar conteúdo e analisar o tráfego do site. Conheça a nossa Política de Cookies e os nossos Termos de Uso.