Fale com a gente

|

Tempo

Compra: R$

Venda: R$

Jornal Acontece

15 de fevereiro de 2021

Dispara número de mortes por doença do coração, em casa

 | Jornal Acontece

Crescimento pode estar relacionado à pandemia. Uma cidade teve 1.400% de aumento no número de óbitos

 

O número de mortes em domicílio por causas cardiovasculares inespecíficas disparou na Baixada Santista no ano passado com relação a 2019. O crescimento foi de 145% de um ano para o outro, o que chamou a atenção de técnicos e especialistas.

Enquanto em 2019 o total de pessoas que morreram em casa por motivos cardiovasculares inespecíficos foi de 116, em 2020, esse número saltou para 284. Os dados foram divulgados pelo Portal da Transparência da Associação Nacional dos Registradores de Pessoas Naturais (Arpen).

Em algumas cidades da região os números são expressivos, como o caso de Mongaguá, que teve um aumento de 1.400% neste tipo de morte, subindo de apenas um registro em 2019 para 15 no ano passado. Bertioga também registrou crescimento alto, 700% (de 1 para 7).

Entre os maiores municípios da região, Guarujá apresentou o maior aumento. Passando de 10 para 49 (390%). Santos subiu de 39 para 71 mortes (82%) e Praia Grande de 25 para 60 (140%). Já Cubatão apresentou um aumento de 214% (de 7 para 22) e São Vicente 71% (14 para 24).

Diretor regional da Associação dos Registradores de Pessoas Naturais do Estado de São Paulo (Arpen/SP), Fábio Capraro explica que esses números são inseridos no sistema com base diretamente nas declarações de óbito, o que garante um retrato fiel da realidade. “Os nossos registros são uma ferramenta importante para a elaboração de políticas públicas de saúde, porque apresentam um retrato fidedigno do momento”, explicou.

Fabio Capraro é diretor regional da Associação dos Registradores de Pessoas Naturais do Estado de São Paulo (Arpen/SP)

Segundo Capraro, o aumento nas mortes em domicílio, principalmente por doenças cardiovasculares, pode estar relacionado à pandemia de Covid-19. “Em Santos houve um aumento expressivo. Provavelmente por medo das pessoas procurarem hospital, medo de sair de casa, depressão. Ou mesmo sequela da Codiv-19. Contudo, nós somos técnicos, a gente trabalha com números, apenas registramos os dados. Esse fenômeno vai ser objeto de estudo dos especialistas da área”, disse.

Pandemia pode ser a responsável

Presidente da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), Marcelo Queiroga, ao analisar o aumento do número de mortes em todo o País por doenças cardiovasculares em domicílio, disse o site oficial da SBC que é possível atribuir esse crescimento a alguns fatores relacionados à pandemia de Covid-19.

“Podemos explicar o aumento por três fatores: acesso limitado a hospitais em locais onde houve sobrecarga do sistema de saúde, redução da procura por cuidados médicos devido ao distanciamento social ou por preocupação de contrair Covid-19, e isolamento que prejudica a detecção de sintomas gerados por patologias cardiovasculares”, explicou o especialista.

 

Thiago Macedo

Publicidade
Publicidade
NOTÍCIAS RELACIONADAS

15 de fevereiro de 2021

Preso homem que estuprou filha de 11 anos

Leia mais

15 de fevereiro de 2021

Espetáculo sobre Anita Malfatti circulará pela Baixada Santista

Leia mais

15 de fevereiro de 2021

260 mil veículos devem descer durante o feriado

Leia mais
Publicidade
Publicidade
Desenvolvido por KBRTEC

Este site usa cookies para personalizar conteúdo e analisar o tráfego do site. Conheça a nossa Política de Cookies e os nossos Termos de Uso.