Fale com a gente

|

Tempo

Compra: R$

Venda: R$

Jornal Acontece

07 de maio de 2021

Em protesto, Portuários exigem vacina

 | Jornal Acontece

 

 

Trabalhadores portuários fizeram um protesto, na manhã desta segunda-feira (5), para pedir a vacinação contra a Covid-19 para a categoria. O ato foi realizado em frente ao prédio da Santos Port Authority, a autoridade portuária no Porto de Santos, no litoral de São Paulo.

 
 
A manifestação pacífica foi organizada pelos trabalhadores portuários. Eles utilizaram faixas e cartazes para pedir pela vacinação antecipada para a categoria. Além disso, fizeram uma homenagem aos portuários vítimas da doença.
 
“Não paramos os portos, continuamos o trabalho, mesmo enfrentando esse vírus. Mais de 40 trabalhadores vieram a óbito, outros se infectaram, outros estão internados e intubados. Os trabalhadores estão morrendo e levando a infecção para dentro de sua residência, para sua casa”, diz o portuário Sandro Olímpio da Silva, conhecido como Sandro Cabeça.
 
Em 2020, o Governo Federal sancionou a lei 14.047 que estabeleceu medidas especiais para enfrentamento da pandemia da Covid-19 com o objetivo de garantir a preservação das atividades portuárias, que foram consideradas essenciais.
 
Além do setor portuário ser fundamental para o abastecimento do país, os trabalhadores dizem que grande parte da população de Santos e Guarujá trabalha na área portuária e, por isso, eles pedem que o critério de vacinação deveria seja alterado na região.
 

“As cidades e os estados podem modificar. Santos tem essa característica. A maioria dos trabalhadores são do porto. Os trabalhadores portuários tem que ter a prioridade na vacina, tem que ser vacinados para poder eliminar de vez o risco de contaminação na cidade, vai reduzir muito esse risco”, fala o portuário.

Em janeiro, os profissionais da área de transporte foram incluídos no grupo prioritário na campanha de vacinação do Ministério da Saúde (MS) contra a Covid-19. Porém, a logística e data para início desses grupos prioritários da vacinação não foi divulgada.
 
Prefeitura 
Em nota, a Prefeitura de Santos disse que a cidade segue o Plano Estadual de Imunização contra a Covid-19. Tanto o envio das doses como a determinação dos respectivos públicos-alvos a serem vacinados são responsabilidades do Governo do Estado.
 
Governo do Estado
 
O Governo de São Paulo, em nota, disse que a destinação de mais vacinas contra Covid-19 pelo Ministério da Saúde é crucial para continuidade da campanha e expansão dos públicos-alvos. Toda estratégia de distribuição das grades e inclusão de novos públicos segue os critérios técnicos definidos pelo PNI (Programa Nacional de Imunizações) e à medida que o Ministério viabiliza novos quantitativos.
 
O Governo de São Paulo, seguindo a missão de salvar vidas, tem priorizado a imunização justamente dos públicos mais vulneráveis: profissionais de saúde, indígenas, quilombolas, idosos e adultos com deficiência residentes em instituições de longa permanência, além de avançar gradativamente na imunização dos idosos em geral – que representam 77% das vítimas fatais da Covid-19.
 
O Estado tem atuado com agilidade na logística e distribuição para a rede de saúde de SP sempre que recebe novas remessas de vacinas. A execução da campanha, com organização e distribuição de quantitativos na rede de saúde, bem como aplicação das doses na população, é responsabilidade dos municípios.
Publicidade
Publicidade
NOTÍCIAS RELACIONADAS

07 de maio de 2021

Guarujá inicia quarta dose de vacinação para pessoas com 30 anos nesta quinta (4)

Leia mais

07 de maio de 2021

Covid-19: Confira atualização dos locais de vacinação para crianças de 3 e 4 anos

Leia mais

07 de maio de 2021

Ministério da Saúde divulga orientações para vacinação de crianças de 3 a 5 anos

Leia mais
Publicidade
Publicidade
Desenvolvido por KBRTEC

Este site usa cookies para personalizar conteúdo e analisar o tráfego do site. Conheça a nossa Política de Cookies e os nossos Termos de Uso.