Fale com a gente

|

Tempo

Compra: R$

Venda: R$

14 de agosto de 2017

‘Tuiá e Xerimbabo’

Escritora de Cubatão lança livro resgatando a cultura indígena

Tuiá e o Xerimbabo, de Eliana Tavares Guimarães, será lançado no dia 05 de setembro, às 19h, na sede do Rotary de Cubatão, na Vila Nova. O evento será especialmente produzido para alegrar crianças com apresentação do coral infantojuvenil Canto Mágico e com a participação da contadora de história, Nalva.

A obra infantil fala da importância de se preservar a natureza e da relação de respeito que deve haver entre humanos e animais. É o pequeno indiozinho Tuiá que conta essa história de descoberta da floresta e da importância de se cuidar, amar e respeitar a vontade dos animais. Afinal, é o dono que escolhe o animal de estimação ou o xerimbabo que escolhe o dono?

Eliana é professora, atriz, diretora de teatro, diretora de coral, poetisa e contadora de histórias e há muito tempo vinha se preparando para contar uma história de autoria própria. Ela atua ativamente na cidade na direção cênica do Coral Canto Mágico, há mais de 20 anos, e dirigiu o grupo de arte-terapia Artistas da Saúde.

“Escrever para crianças foi consequência de atuar como contadora de histórias, esse público é muito doce e aprende com muita facilidade, a literatura infantil é muito importante para a formação das crianças. Procuro resgatar a curiosidade pelas lendas indígenas e trazer um pouco desta cultura para o dia a dia da criança pós-moderna, é um resgate de valores indígenas tão mais próximos da natureza”, conta a escritora.

A história nasceu durante a montagem do espetáculo Diversidade pelo Coral Canto Mágico, em 2012, ano internacional da Biodiversidade. O Espetáculo foi apresentado em toda região e assistido por mais de 2.000 pessoas, os personagens foram feitos por bonecos e o contadora de historia narrava o espetáculo embalado pela emoção de composições de todo mundo executadas pelo Coral Canto Mágico.

A autora conta que para o livro se inspirou muito em seu pai que é de Mato Grosso e descendente indígena. “Admiro a relação com a diversidade entre as gerações indígenas, uma forma muito peculiar de ensinar amar, educar e respeitar a natureza. Nosso país ainda tem que avançar muito em politicas de informação e conservação do meio ambiente. Outras fontes de inspiração para a autora foram a escritora Rachel de Queiróz: ” ela me ensinou o que é um Xerimbabo” e o mestre Tolstoi que afirmava: “se queres ser universal começa por pintar a sua aldeia”.

“Gosto de ler, escrever, atuar enfim deixar que arte faça de mim alguém com maior propósito para este mundo, acredito sempre que arte nos traz uma resposta e que ela mora na simplicidade das pequenas coisas, nos pequenos gestos, e tocar o coração de uma criança com seu fazer artísticos é “graça” que significa o dom divino da alegria , como um sorriso de um palhaço, a beleza da flor e amor aquele outro ser que coabita esta terra também como criatura divina”, concluiu Eliana.

Para o futuro, a escritora pensa em produzir a continuação dessa história, que foi inspirada por um dos integrantes do coral e outra obra sobre uma bruxa brasileira, chamada Janaína que já tem versão em peça infantil.

Tuiá e o Xerimbabo é publicado pela artesanal Editora Costelas Felinas, com papel reciclado, e será vendido no lançamento a R$20,00. E a partir de outubro na Livraria Virtual sob encomenda: https://tmp.storebits.com.br/livrariavirtual

Publicidade
Publicidade
NOTÍCIAS RELACIONADAS

14 de agosto de 2017

Bichectomia e saúde bucal: Entenda a relação entre elas

Leia mais

14 de agosto de 2017

Como se tornar um empreendedor imobiliário?

Leia mais

14 de agosto de 2017

Adolescentes de 13 e 14 anos podem ser vacinados a partir desta terça-feira (31)

Leia mais
Publicidade
Publicidade
Desenvolvido por KBRTEC

Este site usa cookies para personalizar conteúdo e analisar o tráfego do site. Conheça a nossa Política de Cookies e os nossos Termos de Uso.