Fale com a gente

|

Tempo

Compra: R$

Venda: R$

30 de novembro de 2018

Desenvolvimento Econômico

Guarujá discute futuro Aeródromo Civil Metropolitano

Próximo passo é a publicação do edital de concessão

Um importante passo para a concretização do futuro Aeródromo Civil Metropolitano de Guarujá foi dado na noite da última quarta (28), com a realização de uma audiência pública para apresentar à sociedade o edital de concessão do empreendimento, bem como dar transparência aos atos administrativos adotados pela gestão municipal.

Trata-se da última fase antes do lançamento do edital, previsto para o próximo mês. Na audiência, realizada na Câmara de Vereadores, representantes da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Portuário (Sedep) e da Geo Brasilis, assessoria técnica contratada para realizar os estudos, deram detalhes sobre o futuro equipamento.

Com investimentos de pouco mais de R$ 68 milhões ao longo de 30 anos – sendo R$ 45 milhões nos primeiros cinco anos, o futuro aeródromo deverá ter uma receita operacional de quase R$ 640 milhões no período, com custos operacionais alcançando R$ 260 milhões.

Conforme o estudo, todas as simulações confirmam que não serão necessárias desapropriações para a implantação do equipamento, mesmo considerando a futura ampliação da pista de pouso e decolagem em 210 metros.

O aeródromo tem potencial para 1.150.000 passageiros até último ano da concessão, que é de 30 anos. No primeiro ano de atividade, estima-se uma movimentação de 80 mil pessoas.

1.150.000

Seu mercado principal é o embarque e desembarque de passageiros, atendendo toda a Baixada Santista, como também o Porto de Santos, Petrobras e Polo Industrial de Cubatão, além das demandas dos cruzeiros marítimos, turismo de negócios e operações do Pré-Sal.

Zoneamento

Paralelamente, a Prefeitura espera para os próximos dias a conclusão do zoneamento da área do aeródromo, que está sendo delineada pela Força Aérea Brasileira (FAB). O zoneamento consiste de duas áreas na parte já consolidada da Base Aérea, uma permanente e outra provisória, em que será construído um terminal provisório de passageiros.

Durante a concessão dessa área provisória, que será de cinco anos, será construído um terminal permanente de passageiros na outra parte, cuja concessão será definitiva.

A audiência foi realizada atendendo uma obrigação imposta pela legislação. Todos os depoimentos e exposições foram registrados por meio eletrônico de forma a preservar a integridade de seus conteúdos e o seu máximo aproveitamento como subsídios ao aprimoramento a que se destina a audiência pública. A Prefeitura publicará em seu site os documentos apresentados, bem como o áudio e a transcrição.

Desenvolvimento Econômico

 

Audiência discute futuro

Aeródromo Civil Metropolitano

Próximo passo é a publicação do edital

de concessão, prevista para o próximo mês

Um importante passo para a concretização do futuro Aeródromo Civil Metropolitano de Guarujá foi dado na noite da última quarta-feira (28), com a realização de uma audiência pública para apresentar à sociedade o edital de concessão do empreendimento, bem como dar transparência aos atos administrativos adotados pela gestão municipal.

Trata-se da última fase antes do lançamento do edital, previsto para o próximo mês. Na audiência, realizada na Câmara de Vereadores, representantes da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Portuário (Sedep) e da Geo Brasilis, assessoria técnica contratada para realizar os estudos, deram detalhes sobre o futuro equipamento.

Com investimentos de pouco mais de R$ 68 milhões ao longo de 30 anos – sendo R$ 45 milhões nos primeiros cinco anos, o futuro aeródromo deverá ter uma receita operacional de quase R$ 640 milhões no período, com custos operacionais alcançando R$ 260 milhões.

Conforme o estudo, todas as simulações confirmam que não serão necessárias desapropriações para a implantação do equipamento, mesmo considerando a futura ampliação da pista de pouso e decolagem em 210 metros.

O aeródromo tem potencial para 1.150.000 passageiros até último ano da concessão, que é de 30 anos. No primeiro ano de atividade, estima-se uma movimentação de 80 mil pessoas.

1.150.000

Seu mercado principal é o embarque e desembarque de passageiros, atendendo toda a Baixada Santista, como também o Porto de Santos, Petrobras e Polo Industrial de Cubatão, além das demandas dos cruzeiros marítimos, turismo de negócios e operações do Pré-Sal.

Zoneamento

Paralelamente, a Prefeitura espera para os próximos dias a conclusão do zoneamento da área do aeródromo, que está sendo delineada pela Força Aérea Brasileira (FAB). O zoneamento consiste de duas áreas na parte já consolidada da Base Aérea, uma permanente e outra provisória, em que será construído um terminal provisório de passageiros.

Durante a concessão dessa área provisória, que será de cinco anos, será construído um terminal permanente de passageiros na outra parte, cuja concessão será definitiva.

A audiência foi realizada atendendo uma obrigação imposta pela legislação. Todos os depoimentos e exposições foram registrados por meio eletrônico de forma a preservar a integridade de seus conteúdos e o seu máximo aproveitamento como subsídios ao aprimoramento a que se destina a audiência pública. A Prefeitura publicará em seu site os documentos apresentados, bem como o áudio e a transcrição.

Publicidade
Publicidade
NOTÍCIAS RELACIONADAS

30 de novembro de 2018

Novo coronavírus

Leia mais

30 de novembro de 2018

Combate a Dengue

Leia mais

30 de novembro de 2018

Expediente em Cubatão

Leia mais
Publicidade
Publicidade
Desenvolvido por KBRTEC

Este site usa cookies para personalizar conteúdo e analisar o tráfego do site. Conheça a nossa Política de Cookies e os nossos Termos de Uso.