Fale com a gente

|

Tempo

Compra: R$

Venda: R$

Jornal Acontece

25 de fevereiro de 2021

Patrulha Maria da Penha garante proteção às mulheres vítimas de violência

 | Jornal Acontece

Após 17 anos de casada, L. G. decidiu por um ponto final ao ciclo de violência. O ciúme obsessivo do companheiro e as constantes ameaças à família levaram a dona de casa a procurar proteção. Ela é uma das 93 mulheres assistidas atualmente pela Patrulha Guardiã Maria da Penha de Guarujá. O grupamento da Guarda Civil Municipal (GCM) atua na fiscalização e prevenção a todas as formas de violência doméstica contra a mulher e já atendeu mais de 200 casos encaminhados pelo Ministério Público.

Só nos dois primeiros meses do ano foram encaminhados 33 novos casos. A iniciativa foi instituída pelo Decreto Municipal nº 13.045/2019 e visa à proteção de mulheres em situação de violência, por meio da atuação preventiva e comunitária da GCM-um trabalho articulado com a Secretaria de Desenvolvimento e Assistência Social (Sedeas), Ministério Público do Estado de São Paulo e Delegacia de Defesa da Mulher.

Os guardas-civis atuam mediante a identificação e seleção de casos pelo Ministério Público. A equipe composta por seis GCMs, entre eles três mulheres, realiza visitas e rondas preventivas, a fim de monitorar o cumprimento das medidas protetivas. O objetivo é combater a violência física, psicológica, sexual, moral e patrimonial contra as mulheres, conforme legislação vigente, além da responsabilização dos autores de violência contra a mulher.

“Durante as visitas, verificamos se a mulher e seus dependentes necessitam também de atendimento médico e psicológico, e encaminhamos para a rede socioassistencial do Município. Esse apoio é importante para que ela consiga superar os traumas e recomeçar”, explicou a guarda municipal, Adriana Midori.

Para L. G. o apoio da patrulha foi fundamental. “Eu como mãe estava preocupada com os meus filhos e de repente encontrei uma equipe que estava preocupada comigo. Essa acolhida mudou a minha história”, afirmou a assistida.

As equipes estão em constante treinamento e intercâmbio, tanto com a Promotoria de Justiça especializada em gênero e enfrentamento à violência contra a mulher, quanto junto às guardas municipais de outras cidades.

Em levantamento recente foi constatado que a violência física e psicológica são as mais frequentes, além disso, dos 222 casos, 43% são mulheres pardas, 42% branca e 4% negra.

Publicidade
Publicidade
NOTÍCIAS RELACIONADAS

25 de fevereiro de 2021

Teatro Procópio Ferreira tem programação variada de quinta (23) a domingo (26)

Leia mais

25 de fevereiro de 2021

Inscrições para última fase do Passe Livre começam dia 4 de julho

Leia mais

25 de fevereiro de 2021

IPTU para Vicente de Carvalho vence na próxima semana

Leia mais
Publicidade
Publicidade
Desenvolvido por KBRTEC

Este site usa cookies para personalizar conteúdo e analisar o tráfego do site. Conheça a nossa Política de Cookies e os nossos Termos de Uso.